PUBLICIDADE

Colunistas


Thiago Silva

Sexta-Feira, 22/06/2018 às 06:00, por Resenha Russa

O episódio do choro de Thiago Silva em 2014 certamente manchou muito a imagem do zagueiro do PSG para boa parcela da torcida brasileira. A instabilidade emocional de Thiago – e também de grande parte do elenco no mundial de 14 – fez com que se criasse uma visão errada sobre o atleta. É claro que não defendemos o despreparo psicológico do jogador na época, mas não podemos esquecer de sua qualidade - já foi considerado o melhor jogador do mundo em sua posição. Thiago chega à Copa da Rússia muito mais calejado. A faixa de capitão será dele na partida contra Costa Rica, na manhã desta sexta-feira. Quando entrar em campo, o zagueiro brasileiro precisa deixar todos episódios ruins que já viveu para fora das quatro linhas. Por curiosidade do destino, Thiago pode conquistar o maior título da sua carreira no país onde passou um dos piores momentos de sua vida. Em 2005, quando ficou meses internado em Moscou – jogava pelo Dínamo -, com um quadro de tuberculose que ameaçou acabar com sua carreira de jogador. Tite dá, além da faixa de capitão, uma carga de confiança extra ao atleta. Gostando ou não, o atleta é uma liderança no vestiário brasileira.

 

Fragilidade

No estreia contra a Suíça o fator mais preocupante passou longe der ser o desempenho técnico da equipe. Antes de sofrer o gol, a Seleção Brasileira conseguia impor o seu ritmo, combinando Neymar, Coutinho e Marcelo pelo lado esquerdo. No entanto, o empate suíço causou uma grande instabilidade emocional e levantou uma interrogação em relação a capacidade da equipe de enfrentar situações adversas. Por mais que seja uma das principais candidatas ao título pelo futebol apresentado com Tite, a fragilidade emocional não pode ser ignorada – ainda mais em uma competição com fase de mata-mata.

 

Peru

Apesar da eliminação já na segunda rodada da fase de grupos, diante da França, é preciso se ressaltar o trabalho realizado pelo técnico Ricardo Gareca. Mesmo sem grandes craques, conseguiu tornar a seleção peruana competitiva e foi peça fundamental no retorno do país a uma Copa do Mundo após 36 anos. A participação só acabou de forma precoce devido a uma derrota, onde a equipe não conseguiu transformar toda sua superioridade em gols, no confronto direto contra a Dinamarca.




Cristiano Ronaldo

Quinta-Feira, 21/06/2018 às 06:00, por Resenha Russa

O futebol é um esporte coletivo, mas o individual tem a capacidade de condicionar partidas. Portugal não é só Cristiano Ronaldo, mas precisa do seu craque para decidir partidas quando as coisas não dão certo. Há quatro anos a seleção portuguesa não perde um jogo oficial com o seu camisa sete estando presente. A última derrota aconteceu na estreia da Copa de 2014, em goleada sofrida para a Alemanha por 4 x 0. Neste tempo, Portugal disputou ainda partidas na última Copa, Eliminatórias para Eurocopa, Eurocopa, Copa das Confederações, Eliminatórias Europeias para Copa do Mundo e o início da Copa da da Rússia. Na partida de ontem, mais uma prova de sua capacidade. Em um jogo complicado contra Marrocos, o robozão apareceu novamente para dar a vitória para Portugal. O atacante é o artilheiro da Copa com quatro gols e marcou todos os tentos portugueses. Em um Mundial marcado pelas supresas na primeira rodada, não se pode duvidar da força de quem possui o melhor jogador do mundo.


Argentina

Jorge Sampaoli apontou nos últimos treinos que deve promover mudanças no time que empatou com a Islândia, na primeira rodada. A seleção dos hermanos, que tem excelentes opções para o comando de ataque, deixa muito a desejar no setor defensivo. O time de Messi novamente deve encontrar dificuldades para superar a zaga de seu adversário. A Croácia já mostrou ser um time organizado e que também pode incomodar a instável zaga argentina, principalmente através das jogadas do craque do Real Madrid, Luka Modric. A partida entre sul-americanos e europeus deve ser um grande teste para a força mental desta Argentina. Sem conseguir abrir o placar rapidamente, o nervosismo e a pressão instalados em cima dessa seleção não iria atrapalhar no rendimento da equipe? Com um time ainda sem consistência, nossos hermanos têm como principal arma um dos melhores jogadores da história do esporte.




Melhores

Quarta-Feira, 20/06/2018 às 06:00, por Resenha Russa

A primeira rodada do Mundial chega ao fim e muitos jogadores conseguiram brilhar na sua primeira partida. O goleiro Halldórsson foi o principal destaque da posição, defendendo um pênalti de Messi e garantindo o empate da Islândia. Entre os zagueiros, Godín e Giménez. A dupla de zaga foi fundamental para na parte defensiva e ofensiva na vitória sobre o Egito. Apesar da derrota do Peru, Advíncula participou muito bem da partida sendo opção na lateral direita. Pelo lado esquerdo, Kolarov marcou o gol da vitória da Sérvia em bela cobrança de falta. No meio de campo, o volante suíço Behrami foi o principal responsável por parar Neymar, enquanto Hector Herrera era quem desarmava os alemães e já acionava os homens de velocidade do México. O russo Golovin, líder de assistências da competição (2), completa o setor. No ataque, Cristiano Ronaldo, o artilheiro (3) e grande destaque individual, se junta a Hirving Lozano, responsável pelo gol mexicano, e Cheryshev, reserva autor de dois gols na goleada da Rússia no jogo de estreia. Para comandar todos esses talentos, Juan Carlos Osorio, que mudou a maneira do México jogar para poder competir com a Alemanha.

 

Surpresas
Tropeços de grande parte dos campeões mundiais também marcaram a rodada. Das sete seleções que já levantaram a taça, apenas três conseguiram vencer: Uruguai, França e Inglaterra – sendo que uruguaios e ingleses contaram com gol de bola parada no último minuto. A bola, parada, aliás, tem sido uma tônica deste mundial. Dos 38 gols anotados na primeira rodada, 21 se originaram da cobrança de faltas, pênaltis ou escanteios. Brasil, Argentina e Alemanha não tropeçavam em uma partida de estreia há 9, 7, e 6 copas, respectivamente.

 

Artilharia
Com o primeiro jogo da segunda rodada já realizado, o meia-atacante da Rússia, Cheryshev, passa a dividir a artilharia da competição com Cristiano Ronaldo. Ambos marcaram três gols, mas o português jogou apenas uma partida e entra em campo hoje, contra Marrocos, na busca de se isolar no topo.

 

Muslera
Confirmado como titular contra a Arábia Saudita, Fernando Muslera pode igualar Ladislao Mazurkiewicz como o goleiro que mais vezes vestiu a camisa celeste em Copas do Mundo (13 vezes). Aos 32 anos, atualmente, Muslera defende o Galatasaray da Turquia.

 




Surpresa

Terça-Feira, 19/06/2018 às 06:00, por Resenha Russa

A primeira rodada do Mundial já está no seu último dia e umas das principais candidatas a surpreender nos gramados Russos faz sua estreia. Em um grupo com Colômbia, Japão e Senegal, a seleção da Polônia tem todas as condições de avançar (e bem) para a fase de mata-mata. Os poloneses gostam de apostar nos contra-ataques rápidos, explorando a dupla que se consagrou no lado direito do Borussia Dortmund, Piszczek e Blaszczykowski. A grande referência técnica é o atacante do Bayern de Munique, Robert Lewandowski. No entanto, o centroavante não é sobrecarregado no ataque, já que divide a responsabilidade dos gols com Milik, do Napoli. Quando enfrenta adversários mais fechados, o meia Zielinski é o principal responsável pela criação das jogadas. Na defesa, o zagueiro Glik era uma das lideranças, mas acabou cortado por se machucar jogando futevôlei dia antes da preparação para a Copa. Mas mais do que talentos individuais, os poloneses contam com um time muito bem treinado por Adam Nawalka e que está acostumado a duelar contra as principais seleções europeias. Olho na Polônia!


Decisão
Mesmo começando a Copa sob um olhar de desconfiança, a Rússia atropelou a Arábia Saudita na estreia. Com o resultado, o jogo desta terça-feira entre a seleção anfitriã da competição e o Egito se tornou uma verdadeira final. Em caso de nova derrota, os egípcios teriam sua classificação praticamente descartada. Isso porque o Uruguai deve confirmar a vitória contra a Arábia Saudita e chegar aos 6 pontos na 2ª rodada. Assim, Mohamed Salah já começa o torneio com a responsabilidade de não permitir a eliminação de seu país na Copa. O craque do Liverpool foi confirmado para estar em campo pela Federação Egípcia e mesmo sem as melhores condições físicas, já coloca o Egito em outro patamar. A Rússia tem a vantagem de jogar em casa, com o apoio de seu torcedor. Já o Egito, a volta de Salah e a motivação de um time que não disputava o torneio desde 1990. O duelo deve ser equilibrado, assim como a maioria dos jogos tem sido até agora na Copa.




Grupo C

Sábado, 16/06/2018 às 06:00, por Resenha Russa

Com um dos melhores elencos da Copa, a Seleção Francesa é favorita contra a Austrália neste sábado (16), mas deve enfrentar um cenário que não é dos mais favoráveis. Os comandados do técnico Didier Deschamps tiveram seus melhores desempenhos em jogos mais abertos e contra adversários mais fortes. Peru e Dinamarca também medem forças na 1ª rodada do grupo. O técnico da seleção sul-americana, Ricardo Gareca, não confirmou Paolo Guerrero entre os 11 titulares. A Dinamarca, por sua vez, tem em Christian Eriksen, meia do Tottenham, sua principal força. O Grupo C da Copa começa com a França como candidatíssima à liderança e as outras três seleções brigando pela segunda colocação.

 

Grupo D
Argentina e Islândia se enfrenando em uma Copa do Mundo. Em um primeiro momento, é normal apontar o favoritismo para os Hermanos que são bicampeões mundiais. No entanto, o momento vivido pelas duas equipes aponta para uma partida mais equilibrada. A Seleção Islandesa, com todas suas limitações técnicas, consegue ser competitiva. Não por acaso conseguiu manter uma regularidade e chegar a sua primeira Copa do Mundo. Antes mesmo, já havia mostrado forças na Eurocopa, quando nas eliminatórias avançou na chave da Holanda e posteriormente eliminou a Inglaterra na Euro. A Argentina sobre em qualidade técnica, mas ainda não tem a cara do seu técnico Sampaoli. Hoje (16), Lionel Messi dificilmente terá vida fácil contra uma equipe que se defende muito bem e aproveita os contra-ataques. Uma vitória é fundamental para uma classificação em primeiro lugar. Nigéria e Croácia também se enfrentam. A Seleção Africana conta principalmente com a força física, enquanto a Croácia aposta na técnica de seus meio-campistas. Todas as quatro equipes tem condições de avançar para a próxima fase.

 

México x Alemanha
Menos de um ano depois da goleada na Copa das Confederações, Mexicanos e Alemães voltam a duelar. Em 2017, a Alemanha usava um time alternativo e cheio de jovens na competição. Timo Werner, Goretzka (duas vezes) e Younes marcaram os gols da Alemanha. O atacante do RB Leipzig, Werner, e o meio-campista do Schalke 04, Goretzka, garantiram uma vaga na Copa após o bom desempenho no torneio que Joachim Low utilizou como teste. Younes, jovem atacante do Ajax, enfrentou concorrência e ficou de fora do Mundial. Autor do único gol Alemão, Marcio Fabián ainda faz parte do grupo e é um dos principais jogadores da equipe. Com o ousado Juan Carlos Osório no comando do México, é impossível fazer qualquer tipo de previsão para a partida que abre o Grupo F no domingo (17).

 

Brasil
A única dúvida entre os titulares da Seleção Brasileira está entre Willian ou Fernandinho. Em uma primeira fase, onde a equipe precisa ser protagonista com a bola nos pés, Tite deve escalar o meia do Chelsea, optando por um time mais ofensivo. Contra a Suíça, o Brasil irá encontrar um adversário que historicamente é conhecido pelo seu ferrolho defensivo, mas que não pode ser resumido apenas como um time defensivo. A equipe evoluiu e gosta de sair jogando com a bola no chão, independentemente da situação, e atrair o rival para o seu campo de defesa, buscando espaço para explorar a qualidade do atacante Shaqiri. Uma arma de Tite pode ser tentar roubar a bola já no campo de ataque, estando mais próximo do gol adversário. No outro jogo do Grupo E, Costa Rica e Sérvia também se enfrentam no domingo (17). O vencedor deve brigar com a Suíça pela segunda colocação da chave.




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE