PUBLICIDADE

Colunistas


SUSAF

Terça-Feira, 21/01/2020 às 06:50, por Saul Spinelli

As pessoas me perguntam o porquê falar e escrever tanto sobre o Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte, o tão falado SUSAF. Não consigo entender o que impede Passo Fundo de cadastrar os nossos lacticínios e com isto garantir a venda dos produtos produzidos em Passo Fundo em todo o estado. Vai proporcionar mais vendas e com isto mais empregos e renda para pequenos empresários.

SUSAF II
Sabemos que a situação não é fácil e a legislação tem sido rígida a nível de país e Estado, mas também sabemos que Vila Maria, Tio Hugo, Marau e Erechim são cidades próximas que estão há muito tempo com SUSAF e SISBI, ou seja, autorizadas a venderem seus produtos para as cidades de todo o país. Precisamos urgente que este quadro seja revisto e isto tem demorado pela burocracia e também falta de empatia com a situação destes empresários.

SUSAF III
Precisamos sim investir e apoiar grandes empresas, mas inevitável valorizar e olhar para pequenas empresas, pois são elas que mais geram empregos e mantem nossa economia em momentos fortes de crise. Não olhar, reconhecer, agir para mudar esta realidade é passível de críticas e hoje vemos em todo o país o descaso com as pequenas empresas.

Centro Dia do Idoso
Temos hoje uma realidade triste no Brasil, por um lado positivo aumenta a população da terceira idade e isto é positivo, mas também temos o abandono destes idosos e a situação crítica do tratamento na saúde pública para os mesmos. Idosos abandonados pelas famílias e também pelo Estado, alguns saqueados financeiramente pelos filhos e netos e outros em cárcere privado e vivendo o abandono.

Centro dia do Idoso II
Hoje mais de 40% dos idosos sofrem quedas e isto acaba levando a morte e outros por falta de medicamentos certos e nos horários corretos acabam por ter AVC e isto leva a outros sérios problemas. Cuidadores não preparados e familiares impedidos de poder cuidar devidos os afazeres profissionais.

Centro dia do idoso III
Espaços que os idosos fiquem durante o dia e retornem aos seus lares a noite e finais de semana são a solução e certamente, além da qualidade de vida aos idosos, determinarãoa solução que muitas vezes acaba levando a depressão. O debate que o governo federal provocou sobre a adoção de idosos é positivo pois fará que a sociedade olhe para este problema e encontre uma solução, colocando fim na atual situação dos nossos pais e avós. 

Cristo Rey 
O Residencial Cristo Rey, estará em abril deste ano inaugurando o primeiro Centro Dia em Passo Fundo e especializado para atender idosos nos turnos da manhã e tarde. Será disponibilizado para os idosos além de cuidadores, enfermeiro, técnico de enfermagem, cozinha, preparador físico,entre outros profissionais que garantem a alimentação, remédios em horários corretos, orientações para manter a qualidade de vida, evitar quedas e se manterem ativos. Gicella Paetrorius Mello, enfermeira padrão, destaca que o projeto é de garantir para os idosos um espaço adequado para passarem seu dia com várias atividades e às suas famílias a tranquilidade que estão muito bem cuidados.




Frigorífico Borrússia no Litoral

Terça-Feira, 14/01/2020 às 07:00, por Saul Spinelli

Recebi da minha amiga e colega Rosane Bertoncello a informação que o churrasco no Litoral de Santa Catarina teve gosto gaúcho, pois além dos moradores de Passo Fundo, a linguiça era de produção do Frigorífico Borrússia de Osório, Rio Grande do Sul.

 

SISBI e SUSAF

O município de Osório é credenciado pelo SUSAF e SISBI, ou seja, os produtos lá produzidos podem ser vendidos em todo o Brasil e desta forma, gerar empregos e renda para a cidade gaúcha. O produto consumido pela Rosane e seus amigos enviou diretamente imposto para Osório e também garante empregos para a cidade.

 

Passo Fundo não consegue avançar

Passo Fundo é credenciado pelo SUSAF e não pelo SISBI, até porque não houve nenhum momento para o credenciamento a nível nacional. Os empresários da nossa cidade estão perdendo mercado para os produtos de outras cidades e de outros Estados. Perdemos na geração de empregos e também em renda. Culpa de quem, não sei, mas é indiscutível que as autoridades e estruturas públicas responsáveis pelo setor não se importam pois na verdade seus empregos não dependem da venda deste setor.

 

Parece bobagem

Parece bobagem, coisa simples ou sem relevância, mas não é meus amigos. O credenciamento do município em novembro de 2018 e nenhum movimento para credenciar as empresas a nível de autorização para o Estado mostra o quanto estamos desarticulados e esperamos que as coisas aconteçam ao acaso. Tio Hugo, Vila Maria, Marau e Erechim fizeram o dever de casa e tiveram envolvimento direto das suas Prefeituras para isto, mas em Passo Fundo mesmo que a pauta seja discutida pelo município nada sai do papel e continuamos perdendo espaço para outras cidades, enquanto laticínios locais fecham ou diminuem a produção. 

 

Aeroporto

Deputado Mateus Wesp se encontrou com o Governador Eduardo Leite para tratar sobre as obras de ampliação do aeroporto. Assunto falado por muitos e com envolvimento de várias autoridades, mas que pela burocracia do Governo Federal não avança e não conseguimos resolver e fazer andar perdendo pelos burocratas.

 

Aeroporto II

Temos várias reclamações, mas a mais grave é o atendimento dentro do aeroporto e isto não depende de verbas, licitações ou projetos. Banheiro interditado não depende de licitações e sim de ações firmes e gestão deste local que se comprometa a atender bem os usuários.

 

Rodovias

O Fernando Machado Carrion ficou com seu nome na história porque enxergou além do seu tempo de Prefeito e merecidamente merece aplausos. As radiais foram obras que deram a Passo Fundo a organização no trânsito por décadas e se não olharmos para isto com responsabilidade haveremos de reclamar daqui vinte anos. Pensar no futuro é pensar na frente e isto é obrigação de quem faz gestão.

 

Acessos

Estamos com acessos nas vilas com problemas críticos e o Estado além de não ter dinheiro é desorganizado para a valorização de parcerias que possibilitem sinalizações, iluminações e até mesmo pequenas obras que melhorem os acessos. Entrada da Ipiranga e Xangrilá, Parque do Sol, Jerônimo Coelho, Vila Jardim, UPF e Santa Marta precisam de melhorias há décadas e lamentavelmente morrem pessoas e as coisas não avançam. Discussões no Ministério Público pretendem impor prazos e ações aos gestores. É o que esperamos.




Impressionante

Terça-Feira, 07/01/2020 às 06:00, por Saul Spinelli

Mentira tem perna curta, mas nem sempre a perna é tão curta que não consegue avançar e espalhar calúnias e difamações. As pessoas culpam as redes sociais pelas mentiras e notícias falsas, mas a verdade é que devemos olhar e conferir o que de fato é verdadeiro ou não. Acreditar em qualquer coisa, pelo amor de Deus é coisa de amadores ou desavisados. Dias atrás falei que o ritmo das fake news nas redes é algo incontrolável e somente mudará se tivermos a responsabilidade civil e criminal dos internautas que postarem e outros que mesmo sem saber da veracidade fazem a propagação.

Extremismo

Eu tenho amigos do coração que são Bolsonaro e outros como irmãos, que são Lula, e outros tantos que não são de candidato nenhum e nem mesmo discutem política. Chegamos a uma época que o extremismo político nos deixa de mãos atadas, pois o diálogo não tem respeito e nem mesmo responsabilidade com a verdade ou coerência.

Extremismo II

Ouvir que a greve dos professores é coisa de esquerda, não é concebível, pois temos o funcionalismo recebendo parcelado a cinco anos e o mínimo que devemos é respeito com aqueles que apenas desejam defender os seus direitos. Ouvir de pais que, sequer colocam os pés nas escolas, que os professores poderiam trocar de profissão é o mesmo que gritar que os caminhoneiros devem abandonar as estradas pois reclamam dos impostos, dos buracos e da falta de segurança. São temas que devemos discutir, debater e encontrar solução. Respeitar, apenas respeitar é o que devemos fazer.

Alienação parental

Estes dias escrevi uma coluna inteira sobre alienação parental e reforço novamente que muitos pais, padrastos e madrastas usam deste expediente para infernizar a vida das crianças através de acusações falsas contra seus ex- companheiros. E temos ainda os que se fazem de santos e vítimas e na verdade são os que fazem a alienação parental sem nenhum rancor.

Alienação parental II

A literatura tem discutido muito sobre os laudos psicológicos que são feitos com boa vontade e profissionalismo, mas insuficientes para avaliar de fato a alienação parental, pois não raras vezes as crianças manifestam momentos de tensão que vivem, receio e até ameaças veladas antes das sessões. A literatura tem demostrado a importância de valorizar mais do que falar, ações e atitudes, ou seja,como vivem os núcleos familiares, o ambiente escolar e social das crianças e envolvidos. Não é difícil descobrir o que de fato acontece, mas com certeza a verdade nem sempre é encontrada dentro dos consultórios.

Alienação parental III

Normalmente o núcleo familiar responsável pelos limites as crianças é o mais tenso, porque todos sabemos que determinar a hora de tomar banho, comer, estudar, largar do celular, fazer as tarefas, nem sempre é simpático às crianças e adolescentes. Difícil, mas necessário dar amor, exemplos e limites para nossas crianças e não raras vezes alguns espertos aproveitam da situação para dizer que o bom e correto é deixar fazer o que quer e na hora que deseja, criando para as crianças uma sensação de bondade. As crianças e adolescentes podem até mesmo desconhecer a necessidade e importância dos limites, mas os adultos e até mesmo integrantes da rede de proteção são obrigados a descobrir e punir estas atitudes.

Tempo

“O tempo é o senhor da razão”




Alienação parental

Terça-Feira, 24/12/2019 às 06:50, por Saul Spinelli

A expressão “alienação parental” foi proposta nos anos 1980 pelo psiquiatra americano Richard Gardner. Quando não tratada pode trazer danos irreparáveis à criança. As punições são previstas na lei, mas infelizmente, quase sempre, para não dizer sempre, fica sem nenhum reparo e as crianças e adolescentes que tratem seus males ao longo da vida.

Psicologia
Os profissionais de psicologia são os mais preparados para cuidar desta área e podem de uma forma ou outra fazer o reparo e encaminhar soluções, mas não é raro acontecer que decisões sejam tomadas baseadas em laudos de uma visita da criança no profissional, que se acha preparado para emitir uma opinião sobre a vida e os destinos das crianças. Com uma entrevista é impossível dar qualquer entendimento.

Ambiente escolar 
Seja abuso sexual, alienação ou negligência o ambiente mais adequado para pesquisar sobre a situação das crianças e adolescentes é o ambiente escolar e ainda, a família extensa da vítima, mas não é raro os profissionais desconsiderarem e apenas ouvirem as partes, ou seja, o acusado e o acusador. Limitam seu trabalho e com isto limitam também o resultado do mesmo.

Pensão
Em uma pesquisa mais profunda e que pode ser feita com a boa vontade de um profissional sério e comprometido com a responsabilidade de quem decide sobre a vida de famílias, é quando iniciou toda a questão processual. Muitas delas, e posso dizer a maioria é na discussão da pensão alimentícia. O dinheiro, que é a moeda que manda no mundo e que define o início da maioria das polêmicas.

Punição
Sabe o porque temos muitas alienações parentais? Fiquei me perguntando e lendo vários artigos e me convenci que ocorre pois não existem punições. Isto mesmo, quem mente em processos, aliena crianças e maltrata as crianças seja por pensões ou vingança acaba se fazendo de vítima e se livra dos olhos da justiça. Muitas vezes até mesmo os que acusam estão livres de provar, ou seja o ônus da prova fica por conta do acusado. Fica fácil destruir reputações, famílias e desestruturar a vida das crianças, sejam filhos ou enteados.

Caso Bernardo
O caso Bernardo Boldrini, do município de Três Passos é a demonstração mais real do descaso que algumas pessoas tratam as denúncias e são facilmente convencidas com caras de choro e falsas intensões. Todos sabiam, todos viam, mas precisou o menino morrer para que se convencessem das maldades da madrasta que até então estavam protegidas por uma sociedade que se omite em fazer o trabalho correto e principalmente de profissionais que deveriam ser mais cuidadosos para observar de fato de onde vêm os reais problemas.

Realidade
Me refiro sobre estas questões quanto a vasta literatura que trata deste assunto de alienação e da influência que a mesma tem sobre as crianças e, por isto, que os pareceres psicológicos são importantes e definitivos. Estes pareceres não podem ser restritos a poucas pessoas e estas serem diretamente interessadas na decisão. A criança deve ser o centro das entrevistas e por isto uma, duas ou três sessões são insuficientes para que o profissional tenha o entendimento real da situação, pois justamente pela influência da alienação parental a criança não tem em alguns momentos a plenitude de sua vontade. Observar isto é ter consciência e responsabilidade com a vida das crianças e suas famílias e não fazer isto é com certeza condenar as pessoas a viverem com fantasmas a vida inteira.

Sinais
Outra questão importante e aprendi isto com Juízes, Promotores, Psicólogos, Assistente Social, mas principalmente com Professores é quanto aos sinais que as crianças e adolescentes abusados e maltratados tem. Desempenho escolar, recusa de participar da vida social, agressividade, falta de apetite e ainda automutilação. Sinais que nem sempre são observados por professores e levados para as autoridades.

 




Marcelo Godoy

Terça-Feira, 17/12/2019 às 07:00, por Saul Spinelli

Ontem estava de aniversário, Marcelo Godoy, filho de Mara e Valdir e uma figura querida pelos amigos. Marcelo é daquelas pessoas que marca sua presença com ações, mais do que palavras. O diferencial do aniversariante é realmente valorizar as pessoas e seus sentimentos e por isto escrevo aqui para eternizar nas páginas do O Nacional, o quanto Marcelo é querido e figura que serve de exemplo para todos nós. Parabéns Marcelo, desejos de paz, alegria e muita saúde.

Getúlio Bier
Este é um gaudério das antigas e figura querida por todo Passo Fundo e de forma especial dos lados do nosso Boqueirão. Passo firme e fala mansa, Getúlio diz o que pensa e não faz rodeios para defender aquilo que acredita. Policial Militar da reserva, diz que nos antigos tempos as pessoas honravam o bigode e que agora a moda caiu, mas para os outros, pois para os Bier a coisa continua assim. Grande abraço meu líder.

Romilda Varella
Tem uns que reclamam e outros que arregaçam as mangas e fazem as coisas acontecerem. Romilda, moradora da Cohab I é uma figura que construiu sua vida através do trabalho e honra seus filhos e amigos, pois tem sido orgulho de todos. Exemplo de vida para os que desejam vencer através do trabalho árduo do dia a dia. Romilda Varella, parabéns!

Caminhada de sucesso
Em 2019 são dez anos da morte de Pietro Albuquerque e o jovem de 18 anos continua vivo como nunca, através das ações do pai Beto Albuquerque e do IPietro que mobiliza a doação de medula nas suas atividades. Quando da morte de Pietro tínhamos 700 mil doadores e hoje são mais de 5 milhões no Brasil. Com ação firme do Beto, o Redome – Registro Nacional de doadores de medula óssea está interligado com o Banco mundial que possui mais de 27 milhões de doadores, possibilitando que 80% dos diagnosticados com leucemia encontrem doadores. Pietro, vive e viverá para sempre através do IPIETRO e dos milhões salvos com ações fraternas das pessoas de boa vontade.

Stedille
O Secretário Estadual de Habitação recebeu as atas da reunião do grupo de estudo sobre o Edifício Gralha e já se mobiliza para articulação de soluções junto ao Estado. José Stedille participa ativamente do movimento que busca solução que garanta as moradias para as dezesseis famílias que perderam tudo em 2016. Avante.

Brunetto
Algemir Brunetto é pediatra é referência na defesa dos direitos da crianças e adolescentes com câncer. Homem de fé, competente e fraterno. Visão e sonhos é o que vemos nas suas palavras e seus atos. Presidente do Instituto do câncer Infantil, ele nos incentivou a criar a frente parlamentar e seguimos na tarefa de juntos construir pontes da esperança para os milhões que sofrem com a doença.

Frente Parlamentar
Por sugestão do Dr. Brunetto nasce em breve a frente parlamentar das Câmaras de Vereadores do Estado para defesa das crianças e adolescentes com câncer. O objetivo é fazer uma discussão das necessidades que os hospitais possuem de interligar o diálogo com os parlamentos, do Estado e da União. Trabalhar a questão da construção efetiva de politicas públicas que atendam o diagnóstico precoce e também o tratamento.

Júlia Pastorello
Oncologista do Hospital de Clínicas, marca presença em eventos que debatem os avanços tecnológicos para oncologia. Parabéns Dra. Julia, continue firme na aprendizagem e humilde no atendimento, pois a diferença está no olhar com os pacientes.

Posto 20
No Hospital de Clínicas não é raro ver os sorrisos da equipe dos enfermeiros, técnicos, médicos e santificação. Isto mesmo, a diferença da equipe é amar o que faz e mostrar aos pacientes oncológicos que a esperança pela vida passa pelo tratamento e atendimento fraterno. Posto 20, meus parabéns pois a cada sorriso e palavra de incentivo se mostra o quanto a empatia faz a diferença. Viva o amor e o bem amar.

 






PUBLICIDADE