PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 25.03.2017

Sábado, 25/03/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Estarrecido

O presidente estadual do PSB, Beto Albuquerque tem percorrido o país defendendo a candidatura própria à Presidência da República, em 2018. Ele próprio é um dos nomes cotados para a majoritária: se não for a presidente, pode ser ao governo do Estado. Atento a movimentação em Brasília, Beto se diz estarrecido com que o Congresso Nacional tem feito. O último dos absurdos, segundo ele, é a tentativa de emplacar a lista fechada nas próximas eleições. “Além de ser um gol contra, a lista fechada, neste momento, só esconde corrupto e safado” e poderá criar o que denomina de balcão de negócios dentro dos partidos se os critérios da ordem da lista não ficarem claros. Para o dirigente partidário, o melhor é que as eleições permaneçam no atual sistema e uma reforma política séria comece a ser desenhada, a partir do próximo mandato. “O que o país precisa é discutir questões que façam a diferença na vida das pessoas, como o escândalo do gasto dos juros que somam R$ 700 bilhões ao ano. Colocam a culpa na previdência, mas nenhum governo mexe na remuneração da dívida, cujo valor equivale a 35 anos de bolsa família”, pontuou.

Segurança

O vereador Luiz Miguel Scheis, PDT, vai convidar o prefeito Luciano Azevedo, PSB, para visitar o município de Canoas e conhecer o trabalho do delegado Ranolfo Vieira Junior à frente da Secretaria Municipal de Segurança. Ele implantou o Centro Integrado de Comando e Controle, através de um convênio entre a prefeitura e a Fundação Brigada Militar. O convênio permite reaproveitar policiais inativos para operar as 186 câmeras de videomonitoramento integrado com Guarda Municipal, Polícia Civil, Policiais Rodoviárias e Samu. A sala de operações também conta com um funcionário que monitora 34 grupos de WhatsApp, administrado pelos moradores das comunidades. Os índices levantados pelo vereador demonstram resultado positivo com o sistema: a criminalidade reduziu 56%, e as prisões em flagrante aumentaram.

Balanço

O deputado estadual Juliano Roso, PCdoB, reúne assessores do gabinete em Passo Fundo, desde sexta-feira, para avaliar o mandato e estabelecer metas. A convite do deputado, conversei com a equipe por cerca de 40 minutos. O assunto: comunicação e política, dois temas afinados e que passam por transformações profundas. Neste sábado, a equipe participa do almoço em comemoração aos 95 anos do partido, no CTG Osório Porto.

Filiação

O diretório do PSOL de Passo Fundo realizou uma ação no final da tarde de sexta-feira, no centro da cidade. Acompanhado de uma das maiores lideranças do partido, a vereadora de Porto Alegre, Fernanda Melchionna, a mais votada na Capital, os dirigentes locais distribuíram panfletos da campanha de filiação do partido.

Faixa exclusiva

A Associação dos Moradores do Centro, apoiada pelo vereador Rafael Colussi, DEM, protocolou uma sugestão ao prefeito Luciano Azevedo, para que o projeto que vai remodelar a Avenida Brasil, contemple uma faixa exclusiva para ônibus, entre o Instituto Educacional e o Bom Conselho. A Amac está propondo uma quebra de paradigmas. Um corredor exclusivo para ônibus não implicaria em aumento de custo, apenas a delimitação da faixa, com a retirada de estacionamento.  




Fatos 18.03.2017

Sábado, 18/03/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Audiências

Duas importantes audiências com a Agência Nacional de Transportes foram realizadas esta semana: uma em Lajeado e outra em Soledade, para tratar do plano de pedagiamento da BR 386 e a duplicação da rodovia a partir de Carazinho. Diante das discordâncias em relação a proposta inicial, a ANTT está apresentando algumas alternativas como a redução do tempo para iniciar a obra de duplicação, que antes era de 12 anos e poderá será de três. Também reduzir o número de praças, especialmente na região de Soledade, que ficaria entre dois pedágios. Discute-se ainda os valores dos pedágios, que podem encarecer o custo da produção. A última audiência será dia 31 e todo o processo estará concluído em 2018. Importante dizer que a região está mobilizada: quer a duplicação da rodovia, mas não aceitará ser explorada, o diretor do campus UPF de Soledade Idioney Oliveira Vieira, presidente do Corede do Botucarai.  

Sem cabimento

Quando a gente pensa que as coisas estão indo para o eixo, eis que surge algo pior: o escândalo da carne maquiada com produtos químicos, cancerígenos para enganar o consumidor brasileiro deve ser encarado, no mínimo, como tentativa de homicídio. Carne podre, embutidos com papelão e cabeça de porco... Inimaginável em frigoríficos de grandes corporações que posam acima de qualquer suspeita. O que pode ser pior no Brasil? Não consigo me decidir entre as empreiteiras e políticos que colocaram a mão grande nos cofres públicos levando o país a esta crise sem precedentes e o  esquema sórdido de corrupção contra a saúde dos consumidores brasileiros. No mesmo patamar, empresas corruptas e alguns corruptos servidores que são pagos com o nosso dinheiro para nos proteger. Não quero ser pessimista, mas tá ficando difícil!

Encontro

Prefeito Luciano Azevedo convidou o presidente do Sinduscon, Plínio Donassolo, para uma conversa sobre a lei polêmica de regularização de obras em desacordo. Através da assessoria disse:. "Estamos à disposição para ouvir, como sempre estivemos".

Explicação

Vereador Patric Cavalcanti, DEM, autor da lei também envia nota dizendo o seguinte: “O projeto foi a realização da vontade da maioria dos presentes nas audiências públicas, possibilitando a formalidade das moradias de inúmeras famílias de baixa renda que se ajustarem ao perfil socio-econômico que será regulamentado pelo Executivo. Por isso, não se trata de mera anistia de qualquer irregularidade. Para a regulamentação já foram convidados para o diálogo diversas pessoas e entidades, inclusive o Sinduscon.”

 

 




Fatos 17.03.2017

Sexta-Feira, 17/03/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Fora de questão

O empresário Eduardo Matevi, conselheiro e fundador do Sinduscon Passo Fundo, disse que está totalmente fora de questão um novo projeto com origem no Legislativo para revogar a lei em vigor que regulariza obras em desacordo ao Plano Diretor. Para ele, já existe vício de origem da lei atual e uma proposta para revogar a mesma deve partir do Executivo, com a tabela de multas para aplicar a quem está irregular. O dinheiro, resultado das multas, deveria ir para um fundo social, como acontece em outras cidades. Em Camboriú, segundo Matevi, não é incomum um empreendimento ser obrigado a derrubar parede para obedecer a legislação e se não o fizer, paga multa milionária. “Aqui, estimulamos a irregularidade”, acrescentou. O empresário também questiona a agilidade com que a lei foi sancionada, mesmo com desaprovação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Integrado. Agora o assunto está na esfera do Ministério Público. O Sinduscon, com apoio do Sindicato dos Corretores, pediu a inconstitucionalidade da lei, cujo pedido será examinado pela Procuradoria. O Promotor de Justiça, Paulo Cirne, recomendou ao município a não aplicação a legislação antes de um parecer da Procuradoria.

Origem

A proposta que regulariza obras em desacordo com o Plano Diretor é de autoria do vereador Patric Cavalcanti, DEM e foi sancionada pelo prefeito Luciano Azevedo. Em outra ocasião, projeto semelhante, de autoria do vereador Luiz Miguel Scheis, PDT, foi aprovado pela Câmara. No entanto, a diferença é que o projeto do pedetista limitava a regularização de obras de até 70 metros quadrados. No entendimento do Sinduscon, a proposta beneficiou pessoas de menor renda. A atual legislação, não limita o tamanho da obra e essa é a maior crítica da entidade.

Sobre a Cesa

O Jornal O Nacional publicou em 29 de março do ano passado um histórico das tentativas de vendas da unidade da Cesa de Passo Fundo. Para relembrar, a unidade parou de funcionar em 2011, em função da falta de investimentos do governo. O primeiro edital de leilão saiu, com um valor inicial de mais de R$ 15 milhões, avaliados por serviços imobiliários particulares e por um avaliador do Estado, mas nunca houve lance. Na época, um novo edital foi publicado e, novamente, a venda não aconteceu. 

Suspenso

Mais tarde, um leilão na modalidade concorrência tipo maior preço, marcado para setembro de 2013 e com um lance mínimo de 19,5 milhões, foi suspenso devido uma ação do Sindicato dos Auxiliares de Administração de Armazéns Gerais do Estado (Sagers) que garantiu na Justiça uma liminar impedindo a venda da unidade. Entre as justificativas consideradas pela 19º Vara do Trabalho de Porto Alegre, estavam centenas de processos trabalhistas, reclamatórias na Justiça do Trabalho e, ainda, o cadastro no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas.

Cancelado

Em março do ano passado, mais uma vez, o leilão de 50% da área da Cesa de Passo Fundo foi suspenso pela justiça, por um desentendimento sobre o valor do negócio. A área possui pouco mais de três hectares e está localizada na Avenida Brasil, no bairro Petrópolis.




Fatos 16.03.2017

Quinta-Feira, 16/03/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Não foi justo

Sem dúvida nenhuma a adesão dos trabalhadores do transporte coletivo urbano de Passo Fundo à manifestação de ontem, contra a reforma da previdência, deu corpo ao movimento protagonizado por professores estaduais e municipais. Protestar ou debater sobre ações de governos são pautas justíssimas. Isso afeta a todos os trabalhadores e precisamos estar atentos. Os trabalhadores do transporte cometeram um erro que penalizou a população: não avisaram em tempo hábil e legal que iriam parar. A decisão pegou o cidadão de calças curtas. No dia anterior ao manifesto o Sindicato que representa a categoria foi consultado pelos jornalistas e este informou que não havia previsão de parar e que apenas a direção participaria do ato. Os fins não justificam os meios e a população reagiu e com toda a razão.

Bola de neve

Os CFCs de Passo Fundo estão apostando tudo em 2017 para retomar a atividade. No ano passado, houve uma redução média de 40% no movimento. Isso penalizou aos auto-escolas que tiveram que demitir funcionários. Janeiro houve reação positiva e empresários torcem para que esse indicativo se mantenha. O preço para fazer uma CNH é de R$ 2 mil. Em tempos de aperto geral, o sonho de dirigir acaba adiado até que as coisas melhorem.

Discrição

A atuação discreta da OAB de Passo Fundo em temas que dizem respeito ao coletivo (como as reformas estruturais promovidas pelo governo, por exemplo) tem chamado a atenção. Não condiz com a história de lutas desta entidade, que sempre teve protagonismo e posicionamentos firmes. O posicionamento da OAB nacional ou estadual não impede manifestação na esfera local. Ao contrário é importante para balizar a discussão num momento tão crucial para o país. 

Sugestão

Para abreviar o assunto, o Sinduscon poderia propor a um vereador aliado que apresentasse um projeto para revogar a lei que regulariza obras em desacordo. Se aprovado pela Câmara e sancionado pelo prefeito, anularia a medida que causou discordância.

 

 

 




Fatos 15.03.2017

Quarta-Feira, 15/03/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Dipp deixa a Itaipu

O ex-prefeito de Passo Fundo Airton Dipp não é mais o diretor técnico executivo da Itaipu Binacional. A exoneração do cargo foi feita juntamente com os demais membros da diretoria. Para o seu lugar, o presidente Michel Temer nomeou Rubens de Camargo Penteado. O diretor-geral será agora Luiz Fernando Vianna, em lugar de Jorge Miguel Samek. Dipp, que foi nomeado em 2014 pela ex-presidente Dilma Rousseff, aguardava a exoneração desde o ano passado, quando Temer assumiu definitivamente a presidência, depois do impeachment. Ontem e hoje, Dipp ainda participa de reuniões com os novos diretores para um processo de transição transparente. No final de semana, ele vai a Brasília participar da convenção do PDT nacional e na semana que vem estará em Passo Fundo para renovar a carteira de motorista. No município, Dipp ainda mantém a residência que está cuidada por caseiros. No entanto, desde que assumiu a diretoria técnica de Itaipu, mudou-se com a família para Porto Alegre, onde deve permanecer.

Futuro

Agora, ex-prefeito pretende tirar férias. Vai descansar para iniciar novos projetos, sem revelar detalhes. A política ficará no âmbito da participação partidária (PDT). Não está nos planos, como tem reafirmado, concorrer a um cargo eletivo. Com um currículo profissional dos mais ricos, acrescido da experiência em Itaipu, muito provavelmente, vai se dedicar a iniciativa privada. Deixa saudades entre os funcionários que estiveram sob seu comando. Esteve 80% presente em Itaipu e 20% em Curitiba. Foi importante na solução de questões de gestão interna como a periculosidade na distribuição técnica dos profissionais da área de risco. Os critérios definidos para este quesito são considerados satisfatórios tanto para as leis do Brasil quanto para a legislação do Paraguai.

A lista de Janot

O Procurador da República Rodrigo Janot entregou ontem a lista de envolvidos na Operação Lava Jato, resultado da delação de executivos da Odebrecht. O sigilo da investigação impede a divulgação de nomes. A lista não oficial já está percorrendo o mundo e é o próprio Janot que pede a retirada do segredo de Justiça.

Os números

A Procuradoria fez ao Supremo 320 pedidos:

83 de abertura de inquérito

211 de remessa de trechos das delações que citam pessoas sem foro no STF para outras instâncias

07 pedidos de arquivamento

19 outras providências

Punir e educar

O advogado Osmar Teixeira entende que o volume de material é suficiente para que os processos durem de quatro a cinco anos. No entanto, reforça que a Lava Jato, mesmo complexa e demorada que será, tem o maior papel de estancar a sangria da corrupção no Brasil. O único problema, na visão dele, é que este processo não está vindo como mecanismos de educação. “Punir e educar deveriam integrar mecanismos avançados para acabar com a educação”, ponderou.  




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE