PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 17.10.2019

Quinta-Feira, 17/10/2019 às 07:00, por Zulmara Izabel Colussi

Giro na economia de Tapejara
Uma ideia criativa para fazer o dinheiro circular na própria comunidade. A Associação Comercial e Industrial de Tapejara lançou na terça-feira à noite uma família de cartões que movimentar e beneficiar a economia local. São três cartões: Acisat Útil Card, Acisat Útil Prêmio e Acisat Útil Alimentação. São ferramentas para auxiliar gestores e a manter boa parte de recursos financeiros pagos por empresários de Tapejara circulando no próprio município. Os cartões Acisat útil foram desenvolvidos por pessoas da comunidade, serão utilizados por tapejarenses e aceitos nas empresas locais. Mais de 30 aderiram ao projeto da Acisat. Eles servem para premiar colaboradores que se destacam, para antecipar parte do salário de quem precisa e para garantir a alimentação da família de trabalhadores, ao mesmo tempo que auxiliam o empresário a oferecer benefícios à seus colaboradores atendendo sempre as exigências da lei. Para o presidente da Acisat, Cristiano da Silva, a novidade apresentada é um momento histórico para a comunidade principalmente para as empresas associadas já que os cartões colocarão a entidade em um novo patamar.

Como funcionam
O ACISAT Útil Card é um cartão para gestão de adiantamento de salário.
ACISAT Útil Alimentação substituí o vale-alimentação e atende a modalidade do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).
ACISAT Útil Prêmio é destinado a premiação dos colaboradores por empresas que praticam esse tipo de benefício.

Município X Creci
A Justiça negou provimento os agravos de instrumento ao município de Passo Fundo e ao Creci na ação de disputa da área do Bairro Petrópolis. Foi mantida a decisão de que o município não pode retomar a área e o Creci não pode fazer nada no local. O imóvel foi concedido ao Conselho em 2012, por meio da Lei Municipal para construção e utilização de uma sede da Delegacia Regional, mas a edificação nunca foi feita. O prazo para a obra é de 10 anos. Apesar do prazo ainda não ter terminado, em 2017, cinco anos após a concessão e alegando inércia do Conselho em utilizar a área, a Câmara de Vereadores aprovou outra lei: nº 5.265/2017, que revogava a lei anterior e devolvia o imóvel à Prefeitura.
Até 2022
Alegando inconstitucionalidade em revogar a lei de 2012, o CRECI ingressou com ação judicial. Em outubro daquele ano, a Justiça determinou, em liminar, que o município não poderia aplicar a lei de 2017 e retomar a área concedida. Além da ação, a discussão envolvendo área é objeto de outros dois processos que correm na Justiça Federal de Passo Fundo. Em abril do ano passado, a Prefeitura ingressou com pedido de retomada da área, ganhando a liminar, que mais tarde foi cassada em recurso pelo Creci. O impasse gerou dois agravos de instrumentos não foram providos pela Justiça. Imbróglio que deve se estender até o prazo de uso da área de esgotar, em 2022. Se o Creci não utilizar a mesma, ela retorna ao município.
A área
A área de 700 metros quadrados fica ao lado do Cais Petrópolis. A época, em 2012, contrariando apelo popular, o então prefeito Airton Dipp, com aprovação da Câmara de Vereadores, doou o local para o Creci construir sua sede. A Associação de Moradores da Petrópolis queria utilizar o espaço para ampliar o Cais.
PSL convida Candeia
O PSL de Passo Fundo teve homologada pelo TSE a chapa que vai conduzir a executiva provisória do partido. Francisco Emílio Lupatini vai presidir o partido, sendo vice Balzareti Jiuliani de Almeida e secretário geral Rubens Blum. O partido formalizou esta semana convite ao procurador do estado Rodinei Candeia para que se filie ao PSL. Partido, segundo seus dirigentes que “representa a direita de Passo Fundo, todos da linha Bolsonariana, ativistas e, portanto, brasileiros, patriotas, defensores dos princípios norteadores do conservadorismo social, dos valores familiares, da democracia e da dignidade humana”.
Articulação e bocha
Não dá para perder tempo. O pré-candidato a prefeito Márcio Patussi, que aparece de costas na foto, o empresário Carlos Armando Salton, o ex-vereador Roque Letti e o ex-dirigente partidário Paulo Roberto Padilha tiveram uma longa conversa na noite de terça-feira em uma cancha de bocha no Bairro Vera Cruz. Articulação política em andamento com vistas a 2020. A foto foi enviada à colunista por um observador discreto da política local.
Gastos com diárias

Os deputados estaduais Gilberto Capoani, MDB, e Mateus Wesp, PSDB, estão na lista dos parlamentares que mais gastaram diárias até este mês. O dado consta do portal transparência da Assembleia Legislativa e a lista completa pode ser conferida no link https://bit.ly/33xJs7y. A Assembleia Legislativa consumiu mais de R$ 600 mil em diárias de janeiro até o momento. Capoani é o segundo parlamentar da lista geral que mais gastou o recurso, R$ 33,1 mil. Perdendo apenas para o deputado Pedro Ozório Pereira que gastou R$ 35,7 mil até o momento. O deputado Wesp soma R$ R$ 19,6. Em apenas uma viagem feita para a Hungria, agora em setembro, foram consumidos quase R$ 9 mil. O parlamentar participou de um evento relacionado à Frente Parlamentar de Promoção de Políticas Públicas Orientadas à Família, presidida por ela na AL.

 




Fatos 17.10.2019

Quinta-Feira, 17/10/2019 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Giro na economia de Tapejara

Uma ideia criativa para fazer o dinheiro circular na própria comunidade. A Associação Comercial e Industrial de Tapejara lançou na terça-feira à noite uma família de cartões que movimentar e beneficiar a economia local. São três cartões: Acisat Útil Card, Acisat Útil Prêmio e Acisat Útil Alimentação. São ferramentas para auxiliar gestores e a manter boa parte de recursos financeiros pagos por empresários de Tapejara circulando no próprio município.  Os cartões Acisat útil foram desenvolvidos por pessoas da comunidade, serão utilizados por tapejarenses e aceitos nas empresas locais. Mais de 30 aderiram ao projeto da Acisat. Eles servem para premiar colaboradores que se destacam, para antecipar parte do salário de quem precisa e para garantir a alimentação da família de trabalhadores, ao mesmo tempo que auxiliam o empresário a oferecer benefícios à seus colaboradores atendendo sempre as exigências da lei. Para o presidente da Acisat, Cristiano da Silva, a novidade apresentada é um momento histórico para a comunidade principalmente para as empresas associadas já que os cartões colocarão a entidade em um novo patamar.

Como funcionam

O ACISAT Útil Card é um cartão para gestão de adiantamento de salário.

ACISAT Útil Alimentação substituí o vale-alimentação e atende a modalidade do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

 ACISAT Útil Prêmio é destinado a premiação dos colaboradores por empresas que praticam esse tipo de benefício.

Município X Creci

A Justiça negou provimento os agravos de instrumento ao município de Passo Fundo e ao Creci na ação de disputa da área do Bairro Petrópolis. Foi mantida a decisão de que o município não pode retomar a área e o Creci não pode fazer nada no local. O imóvel foi concedido ao Conselho em 2012, por meio da Lei Municipal para construção e utilização de uma sede da Delegacia Regional, mas a edificação nunca foi feita. O prazo para a obra é de 10 anos. Apesar do prazo ainda não ter terminado, em 2017, cinco anos após a concessão e alegando inércia do Conselho em utilizar a área, a Câmara de Vereadores aprovou outra lei: nº 5.265/2017, que revogava a lei anterior e devolvia o imóvel à Prefeitura.

Até 2022

Alegando inconstitucionalidade em revogar a lei de 2012, o CRECI ingressou com ação judicial. Em outubro daquele ano, a Justiça determinou, em liminar, que o município não poderia aplicar a lei de 2017 e retomar a área concedida. Além da ação, a discussão envolvendo área é objeto de outros dois processos que correm na Justiça Federal de Passo Fundo. Em abril do ano passado, a Prefeitura ingressou com pedido de retomada da área, ganhando a liminar, que mais tarde foi cassada em recurso pelo Creci. O impasse gerou dois agravos de instrumentos não foram providos pela Justiça. Imbróglio que deve se estender até o prazo de uso da área de esgotar, em 2022. Se o Creci não utilizar a mesma, ela retorna ao município.

A área

A área de 700 metros quadrados fica ao lado do Cais Petrópolis. A época, em 2012, contrariando apelo popular, o então prefeito Airton Dipp, com aprovação da Câmara de Vereadores, doou o local para o Creci construir sua sede. A Associação de Moradores da Petrópolis queria utilizar o espaço para ampliar o Cais.

PSL convida Candeia

O PSL de Passo Fundo teve homologada pelo TSE a chapa que vai conduzir a executiva provisória do partido. Francisco Emílio Lupatini vai presidir o partido, sendo vice Balzareti Jiuliani de Almeida e secretário geral Rubens Blum. O partido formalizou esta semana convite ao procurador do estado Rodinei Candeia para que se filie ao PSL. Partido, segundo seus dirigentes que “representa a direita de Passo Fundo, todos da linha Bolsonariana, ativistas e, portanto, brasileiros, patriotas, defensores dos princípios norteadores do conservadorismo social, dos valores familiares, da democracia e da dignidade humana”.

Articulação e bocha

Não dá para perder tempo. O pré-candidato a prefeito Márcio Patussi, que aparece de costas na foto, o empresário Carlos Armando Salton, o ex-vereador Roque Letti, e o ex-dirigente partidário Paulo Roberto Padilha tiveram uma longa conversa na noite de terça-feira em uma cancha de bocha no Bairro Vera Cruz. Articulação política em andamento com vistas a 2020. A foto foi enviada à colunista por um observador discreto da política local. ( a foto você confere na edição impressa de ON)

Gastos com diárias

Os deputados estaduais Gilberto Capoani, MDB, e Mateus Wesp, PSDB, estão na lista dos parlamentares que mais gastaram diárias até este mês. O dado consta do portal transparência da Assembleia Legislativa e a lista completa pode ser conferida no link https://bit.ly/33xJs7y. A Assembleia Legislativa consumiu mais de R$ 600 mil em diárias de janeiro até o momento. Capoani é o segundo parlamentar da lista geral que mais gastou o recurso, R$ 33,1 mil. Perdendo apenas para o deputado Pedro Ozório Pereira que gastou R$ 35,7 mil até o momento. O deputado Wesp soma R$ R$ 19,6. Em apenas uma viagem feita para a Hungria, agora em setembro, foram consumidos quase R$ 9 mil. O parlamentar participou de um evento relacionado à Frente Parlamentar de Promoção de Políticas Públicas Orientadas à Família, presidida por ela na AL.

 




Fatos 16.10.2019

Quarta-Feira, 16/10/2019 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

O cobrador do passado

O jornalista Fernando Albrecht, em uma de suas colunas no Jornal do Comércio, em 2017, contou a história dos homens de vermelho, cobradores que atuaram a partir do final dos anos de 1950 na Capital gaúcha. Pertenciam a uma empresa privada, que montou um negócio lucrativo para cobrar dívidas dos cidadãos porto-alegrenses. Eles vestiam roupas vermelhas, da cabeça aos pés. Nas costas, em letras garrafais, a palavra cobrador não deixava dúvidas de quem eram. Quando batiam em alguma residência ou empresa provocavam o maior alvoroço. Era uma vergonha sem fim, um escândalo receber a visita de um homem de vermelho e ser cobrado de forma pública. Segundo o jornalista, o negócio acabou caindo no esquecimento anos depois porque os cobradores também sofreram muito no exercício da função. Foram agredidos e escorraçados dos locais. “...um ofício evidentemente para corajosos ou seduzidos pelos ganhos relativamente bons”, lembrou o jornalista.

O cobrador do futuro

Com uma taxa recorde de inadimplência, atingindo 63 milhões de brasileiros, em abril deste ano, segundo a Serasa, cobrar não é uma tarefa fácil. Mas se modernizou, e muito, nos últimos anos. Ao ponto de instituições bancárias, operadoras de cartão, grandes redes de lojas investirem milhões de reais em estratégias para recuperar os valores devidos e até, evitar a dívida. Muitas operadas, especialmente de TV a cabo, celular, Internet que usam a estratégia de disparar mensagens via SMS, whats, ou email, 15 dias antes de vencer o boleto. E elas se multiplicam na medida em que a data vai se aproximando. Agora, experimente atrasar um dia o pagamento! Daí, a cobrança perde a compostura. Ligações uma atrás da outra até você cansar. E se não atendeu ao celular, ligam para o seu emprego, na hora do expediente.  A questão não é cobrar quem deve, mas a forma agressiva e invasiva com que se faz, ultrapassando o limite do razoável.

Correção  

Um leitor atento da coluna, Agenor Pauleto, observa um lapso cometido pela colunista nos tópicos sobre a guerra comercial entre Estados Unidos e China, publicados na edição de ON do fim de semana. Não está citada a fonte do conteúdo. Imperdoável! Feita a devida correção no site de ON, e agora no impresso, a análise sobre os reflexos da guerra comercial foi apropriadamente feita pela diretora de Agronegócio da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agronegócio (Acisa) de Passo Fundo, Fabiana Venzon.

Circula nas redes

Já havia abordado em outra ocasião este tema, mas volto a ele, porque realmente chama a atenção o grau de transformação. O Hospital Municipal César Santos, que sequer tinha alvará, e agora tem, passa por uma reestruturação digna de aplausos. A obra que amplia e revitaliza a instituição de saúde dará novo aspecto não só ao hospital, mas para toda aquela região, que parecia um cantinho abandonado  da cidade.  E a foto comparando o antes e o depois (embora a obra não esteja concluída) compartilhada pelo prefeito Luciano Azevedo e replicada por várias pessoas, demonstra claramente de que mudança estamos falando.  Há muita expectativa para saber como vai ficar. Só reforçando que tem participação do ex-deputado Beto Albuquerque, que destinou verba de emenda para o HMCS.

 




Fatos 12.10.2019

Sábado, 12/10/2019 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Guerra comercial

Os reflexos da guerra comercial entre Estados Unidos e China são inevitáveis para o Brasil, que, em 2018, experimentou um crescimento de 35% nas exportações para China, na comparação com 2017. Os impactos do confronto atingem produtos como soja, minério de ferro e petróleo, uma vez que os chineses são os principais parceiros comerciais do país na exportação desses produtos. “Somos o segundo produtor mundial de soja, atrás apenas dos EUA. Esta guerra comercial pode, pontualmente, ser benéfica para nós, uma vez que a China suspendendo ou sobretaxando as importações do grão americano, inevitavelmente tenderá a comprar mais o grão brasileiro para suprir sua demanda interna”, analisa a diretora de Agronegócio da Acisa de Passo Fundo, Fabiana Venzon. Entretanto, adverte, se a economia chinesa continuar a desacelerar, sua demanda por petróleo e minério de ferro tende a diminuir, o que será prejudicial às exportações brasileiras e à balança comercial. “As consequências da guerra comercial podem afetar o mundo, uma vez que chegando ao ponto de desvalorização artificial da própria moeda, como fez a China, poderá levar a uma recessão mundial, fazendo com que os fundos de investimentos diminuam sua atuação por insegurança, especialmente nas economias emergentes como é o caso do Brasil. Com menos investimentos, teremos menos geração de empregos e menor consumo”, pondera.

 Gestão eficiente

De acordo com a empresária, não há como se preparar para as consequências da atual situação. “A soja é uma comodity, negociada na bolsa de Chicago e sua cotação é em dólar, ou seja, são fatores incontroláveis e imprevisíveis, sensíveis às mudanças de humor dos principais players do mercado”, explica, ao salientar a necessidade e uma gestão eficiente por parte dos produtores locais. “A única forma de nos protegermos minimamente como produtores  é através de uma gestão eficiente de custos e de fluxo de caixa, para que possamos aproveitar oportunidades pontuais de mercado que possam ocorrer”, aconselha.

Eleição na pauta

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, foi recebido na quinta-feira (10), no Palácio Piratini, pelo governador Eduardo Leite e pelo presidente do PSDB no Rio Grande do Sul, Mateus Wesp. Além do Congresso Nacional do partido, que ocorrerá em dezembro, em Brasília, a conversa foi pautada pela questão das Eleições 2020 no Brasil. Araújo reforçou a orientação e a determinação da Executiva nacional do PSDB para que, em cidades com mais de 100 mil habitantes, o partido tenha como prioridade a eleição majoritária.

Presidência

O PSDB gaúcho também almeja fortalecer o nome de Eduardo Leite como futuro candidato tucano à presidente da República. Terá de enfrentar o já candidato posicionado dentro do partido, governador de São Paulo, João Dória. Mesmo ainda distante do pleito de 2022, o PSDB no Estado já definiu como meta, dobrar o número de deputados federais - atualmente são dois.

Boa hora

Os prefeitos respiraram aliviados esta semana depois que a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que estabelece os critérios de repartição da cessão onerosa, – estimados em R$ 10,9 bilhões para os Municípios, resultado do excedente do pré-sal da bacia de Santos. A venda será em novembro e os municípios e estados deverão receber os recursos entre o fim de 2019 e 2010. O dinheiro vem em boa hora mas só pode ser usado pelos em três frentes: investimento, pagamento de dívida previdenciária ou criação de reserva financeira também para custos previdenciários. O projeto ainda depende de votação no Senado.

Encontro regional

O ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, poderá estar em Passo Fundo no próximo dia 15. Ele é convidado a participar de evento regional do DEM com pré-candidatos a vereador. Outros membros da executiva estadual já confirmaram presença.

Emenda

O vereador Patric Cavalcanti, DEM, viabilizou junto ao deputado estadual Rodrigo Lorenzoni, uma emenda ao orçamento do Estado no valor de R$ 50 mil que será destinada à Brigada Militar de Passo Fundo.  

Convocaram e não foram

Vereadores que convocaram o Executivo e a Codepas a dar explicações sobre as dificuldades financeiras da empresa não comparecem à reunião. Cinco dos seis vereadores que assinaram um pedido de CPI da Codepas, que acabou arquivado por estar completamente fora dos padrões regimentais e constar dados inverídicos da empresa, Luiz Miguel Scheis e Márcio Patussi, PDT, Renato Tiecher, PSL, Rufa Soldá, PP, e Gleison Consalter, PSB, não participaram da reunião de sexta-feira à tarde para ouvir o jurídico Marrone Franco, o procurador geral do município, Adolfo Freitas e o secretário de Serviços Gerais Cristiam Thans. Os integrantes do Executivo foram convocados a dar explicações ao Legislativo e os autores da convocação, de vídeos na Internet e discursos inflamados na tribuna da Câmara não apareceram. Apenas Eloi Costa, MDB, que é da base e assinou a CPI, participou, ao lado de outros vereadores da bancada do governo.

 




Fatos 10.10.2019

Quinta-Feira, 10/10/2019 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Disparando críticas

A executiva municipal do Progressista vai responder as críticas feitas pelo procurador do Estado Rodinei Candeia em carta de desfiliação encaminhada na noite de terça-feira. Nela, Candeia diz que “entendia que o Progressistas poderia ser o grande protagonista na disputa eleitoral de 2020 em Passo Fundo, elegendo o prefeito e também um grande número de vereadores. Contudo, lamentavelmente essa não era a ideia da executiva local do partido, que, eleita para essa finalidade, frustrou nossas expectativas conduzindo o partido para uma posição de coadjuvante nas próximas eleições. Ao invés de trabalhar para fortalecer nossas candidaturas, nossa diretoria passou a fazer negociatas às escondidas com outros partidos, insistindo em velhas práticas políticas que conduziram nosso país à situação em que está”, disparou. Segundo Candeia, “para concretizar seus planos, até o diretório foi alterado para afastar nosso candidato, escolhendo outro para cumprir esse triste papel, o qual declarou no dia seguinte à sua indicação, que não queria ser de fato candidato a Prefeito”, referindo a pré-convenção que optou pelo nome do vereador Rufa Soldá.

Novo partido

A coluna havia antecipado que a desfiliação seria o caminho natural de Candeia e que o PSL está nos planos do procurador. Mas a decisão não será anunciada logo e deve levar, pelo menos, 30 dias, embora possa fazê-lo até março do próximo ano, prazo legal para filiações de quem quer disputar a eleição. Concorrer a prefeito, como pretendia no PP, será outra decisão a ser tomada no novo partido e dependerá de algumas variantes. Candeia disse que também conversa com outras siglas, as quais prefere não divulgar e que ontem chegou a ser convidado para disputar a prefeitura de Erechim, cidade onde atuou por muitos anos como procurador, mas que, no caso, está fora de questão por conta do domicílio eleitoral.

Crise no PSL

Sobre a crise no PSL, partido pelo qual deve optar, Candeia disse que as coisas devem se resolver e vê como natural a necessidade de ajustes dentro de um partido que teve um crescimento extraordinário na última eleição. “Não acredito que o presidente Bolsonaro deixe o partido e nem que o PSL permita que isso ocorra. Por que ele deixaria o segundo maior partido do país em fundo partidário e tempo de TV?” questiona.

Resposta

O presidente do diretório municipal Pedro Thomé disse ontem que o partido vai responder às críticas feitas. “Tirando as inverdades que ele fala, desejo todo o sucesso para ele e seus seguidores. Política, se faz com diálogos e não com inverdades”, manifestou. Na carta de desfiliação, Candeia é acompanhado por outras nove pessoas. No entanto, segundo ele, um grupo de 15 já se desfiliou.

Sai ou não sai?

Muita especulação em torno da saída de Bolsonaro do PSL. O presidente nacional do partido, Luciano Bivar, disse que o presidente já está afastado, depois de ter sido flagrado dizendo para um seguidor para esquecer o partido. "A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido".

Encontro

Em novo movimento pré-eleitoral, o vereador Marcio Patussi, PDT, liderou na noite de terça-feira, um encontro suprapartidário com as executivas do PTB, PDT, Progressistas e Podemos, para uma análise sócio-econômica de Passo Fundo, que foi apresentada pelo professor Adriano José da Silva, e falar do futuro da cidade. Além de pautas cotidianas como os desafios da arrecadação do município, tendências da nova economia, o grupo começa a esboçar uma aproximação para a construção de um projeto inovador para a cidade. “É preciso somar e olhar pra frente. Pensar num futuro com perspectivas de diversificação da matriz econômica e atuação integrada com o setor produtivo e qualificação dos serviços básicos. Não há milagre, mas ousar é imprescindível”, afirmou Patussi.

Defesa

O vice-presidente do PSB nacional, Beto Albuquerque retornou à Câmara dos Deputados para defender, na Comissão Especial que avalia projetos do governo que alteram no Código de Trânsito a Lei de sua autoria. Segundo o ex-deputado, a legislação que instituiu o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito está sendo ameaçada pelo Governo Bolsonaro. “O plano de metas para a União, Estados e Municípios que entrou em vigor em 2018 já está ameaçada”, disse.

Defesa II

Segundo Beto, do 88 maiores países do mundo, o Brasil é o terceiro em mortes no trânsito, pois cerca de 40 mil pessoas/ano morrem na violência de guerra no trânsito, a um custo de R$ 25 bilhões/ano em hospitais, CTIs, abonos doença e invalidez além das perdas materiais e econômicas. “Não podemos admitir retrocessos, mudanças absurdas como a cadeirinha para a criança, o controle de velocidade e o uso de bebidas alcoólicas  e drogas por quem dirige. No trânsito  falamos de vidas e elas não tem preço”, reforçou durante sua fala.




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE