PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 08.11.2018

Quinta-Feira, 08/11/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Reencontro
Quando criança, aos 10 anos de idade, Antonio Roso, vinha de Marau com o seu pai para vender porcos ao frigorífico Z.D. Costi, no Bairro São Cristóvão, em Passo Fundo. Cerca de 63 anos depois, o hoje empresário inaugura o maior empreendimento na área comercial da região Norte do Estado: o Passo Fundo Shopping. Empreendedor nato, não é a primeira vez que Antônio Roso investe em Passo Fundo. Já comandou a Kuhn, indústria de implementos agrícolas, foi sócio da BSbios e agora tem participação majoritária no shopping, com 40% de participação. Roso, não imaginava, aos 10 anos, que aquela área onde estava instalado um dos maiores frigoríficos da região, receberia, muitos anos depois, um de seus empreendimentos. Por isso, a inauguração do Shopping tem uma certa nostalgia para o empresário e, ao relembrar esta história, é tomado de emoção.

Movimento
Profissionais liberais das mais diversas áreas como arquitetos, eletricistas, encanadores, vidraceiros e vários segmentos da área de serviço tiveram muito trabalho nos últimos dias em torno do Passo Fundo Shopping. Para terminar a obra, em alguns momentos, 2 mil trabalhadores chegaram a estar no local no mesmo dia. O setor imobiliário biliscou um pedacinho deste bolo. As grandes empresas que já tem equipes particulares para montar suas lojas, trouxeram trabalhadores de outros estados e alugaram casas para hospedar os grupos.

 

Cereja do bolo
Sem dar detalhes, o presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou ontem que vai extinguir o Ministério do Trabalho, que foi criado em 1930 e tem 88 anos. Vai incorporar a outra pasta que não sabe qual. Depois de uma reforma trabalhista que deixou muitos aspectos sem regulamentação e de interpretações diversas, a cereja do bolo é com o fim da pasta, responsável em regulamentar e fiscalizar todos os aspectos referentes às relações de trabalho no Brasil. Nenhuma surpresa na medida de Bolsonaro que sempre foi claro em relação às suas propostas.

 

Economia?
A extinção ou unificação de ministérios não representa economia ao governo. A economia é pequena perto do rombo. O que vai garantir gestão é reduzir o gasto como um todo da máquina pública e aumentar a arrecadação. Ainda não veio a proposta milagrosa.




Fatos 07.11.2018

Quarta-Feira, 07/11/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Otimismo puro
Passo Fundo surfa numa onda econômica positiva, resultado de um setor que, mesmo na crise, não deixou de operar em alta: o agronegócio. Enquanto no cenário nacional e estadual a discussão é sobre como colocar nos trilhos a economia, reduzir a máquina pública e gerir melhor o Estadp, em Passo Fundo, já se comemora índices positivos no emprego e há otimismo em relação ao desempenho do comércio no fim do ano. Ao contrário do que foi em 2017, quando as vendas cresceram 3%, neste ano, a estimativa da CDL é de um incremento de 10% sobre o ano anterior. A geração de emprego está alavancada em dois novos negócios que inauguram na cidade: com investimento que supera R$ 200 milhões, o Passo Fundo Shopping abre ao público na quinta-feira e hoje será apresentado à autoridades e convidados. Um empreendimento que fortalece a vocação comercial do Bairro São Cristóvão e aumenta a participação do segmento na economia local. O Passo Fundo Shopping não é só da cidade, vai atingir mais de 100 municípios da região e mais de 1 milhão de habitantes.

 

Embalo
Embalada neste momento, a Megaloja Havan anunciou ontem a contratação de mais 80 trabalhadores, ampliado a expectativa inicial de 120. cerca de 80 já foram selecionados e todos passarão por treinamento de duas semanas em Chapecó. A seleção do próximo grupo vai se dar entre Sine e CDL Empregos. A geração de empregos no comércio já é motivo para comemorar o desempenho do ano. Os índices serão positivos como há muito não ocorria.

 

Imobiliário
Outro sina de que as coisas começam a melhorar, vem do setor imobiliário. Vice-presidente da área do comércio na Acisa, empresário do ramo imobiliário, Marco Silva, diz que há 30 dias se percebe uma reação dos investidores. Novos lançamentos estão previstos o que se pressupõe um aquecimento futuro.

 

Livro
O advogado e um dos colaboradores do Jornal O Nacional, André Leandro Barbi de Souza lançou ontem, na Feira do Livro de Porto Alegre, o livro "A Atuação da Procuradoria e da Assessoria Jurídica Municipal". A obra foi escrita em coautoria com Daniel Pires Christofoli, que é advogado, professor e mestre em Direito. Leitura obrigatória para agentes públicos.


Mesa Diretora
As novas composições da Mesa Diretora da Câmara terão Fernando Rigon como presidente e Evandro Meirelles como vice, em 2019; e Saul Spinelli como presidente e Ronaldo Rosa como vice, em 2020.




Fatos 06.11.2018

Terça-Feira, 06/11/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Encontro

Pela primeira vez, depois da eleição, o prefeito Luciano Azevedo, PSB, se encontrou com o deputado eleito Mateus Wesp, PSDB. A visita, acompanhada por assessores, sinalizou para um processo de aproximação entre ambos. Wesp deve ser o interlocutor nas questões do município junto ao governo do Estado a partir de janeiro. E o PSDB, presidido por ele, continua na base do governo municipal, liderado por Luciano. Vai depender destas duas lideranças a manutenção do grupo governista na disputa pela Prefeitura em 2020 e, do nome escolhido para manter o grupo alinhado. Isso dependerá, também, da disposição dos partidos em manter a aliança que reconduziu Luciano à Prefeitura em 2016. A dinâmica da política segue quase a velocidade da luz.  

Mudança à vista

O prefeito Luciano Azevedo deve fazer reformulação na estrutura de governo no início de 2019. Pode haver mudança de nomes e principalmente de funções. O prefeito trabalha no novo desenho de governo, que deverá dar sustentação à reta final de seu mandato até dezembro de 2020.

Integrando equipe

O deputado eleito Mateus Wesp deve integrar a equipe de transição de Eduardo Leite. Já está em Porto Alegre onde participa de reuniões durante a semana.

Colegas

O “vice dos sonhos” por Bolsonaro, cotado para o futuro Ministério da Faímilia, senador Magno Malta tem dois postos de gasolina em Vila Velha, no Espírito Santo, onde mantém um escritório de apoio. De abril de 2009 até julho deste ano, Malta, eleito pelo PR, gastou R$ 472 mil em combustível nesses dois estabelecimentos. Meio milhão de reais em cota parlamentar consumida em gasolina. E a luta é contra a corrupção! Se for mesmo, Moro vai ter trabalho com colegas.

Conservadora

“Estamos vivendo mudança que não é só no Brasil. Uma mudança inclusive conservadora, em termos de costumes. Às vezes, na minha compreensão de mundo e é só na minha, não quer dizer que esteja certa, perigosamente conservadora. Porque a tendência na humanidade é de direitos sociais que são conquistados, a gente não recua”. Ministra do STF Carmen Lúcia, durante evento comemorativo dos 30 anos da Constituição.

  

 

 

 




Fatos 02.11.2018

Sexta-Feira, 02/11/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Jogada de mestre

A coluna ouviu algumas fontes sobre a confirmação de que o Juiz Sérgio Moro será o próximo Ministro da Justiça. Assim como no cenário nacional, há divisão sobre esta decisão, em Passo Fundo não poderia ser diferente, “Foi uma jogada de mestre levar o juiz federal Sérgio Moro para o superministério da Justiça”, diz o professor e historiador Antônio Kurtz Amantino, para quem o presidente eleito Jair Bolsonaro está demonstrando habilidade neste início da formação do governo. Em que pesem as reações contrárias, segundo ele, grande parte da opinião pública aplaude a decisão porque está cansada de ver tanta corrupção e Bolsonaro, “um homem tão malfalado, soube interpretar o espírito do tempo. A sociedade nao aguentava mais a polarização”. Para o professor, se a esquerda do Brasil não se modernizar e continuar com um discurso do século XIX, vai colecionar derrotas.

Técnico e não político

Cauteloso, o advogado Dárcio Vieira acredita que a Operação Lava Jato perde com a saída do Moro da Jurisdição da 13ª Vara Federal de Curitiba e que no sistema Presidencialista o cargo de ministro exige habilidade política. “Moro é um técnico da mais alta qualificação. Talvez ele não se sinta tão confortável num cargo político”, analisa. Dárcio acredita, no entanto, que a passagem pelo Ministério seja uma ponte para o STF a partir de 2019, quando o ministro Celso de Mello deve se aposentar.

Constrangimento

O professor da Faculdade de Direito da UPF, Alcindo Roque, acredita que, nas relações entre operadores do direito a aceitação vai criar constrangimentos e alimentar o discurso de que ele não se conduziu sem comprometimentos políticos. “Não é bom, neste momento, mas se tiver bom desempenho no ministério isso pode ficar tratado como não relevante, já que não é o primeiro juiz federal que opta carreira política e larga a magistratura”, diz.

Valorização

O advogado José Mello de Freitas, recebe a notícia como um reconhecimento ao Judiciário. “Antes de mais nada ele é um Juiz. Com todos os méritos pelo trabalho já feito. O importante é a intenção. Combater o estado lastimável em que nos encontramos por absoluta falta de credibilidade nas instituições”, acentua.

Comprometido

Para o advogado Júlio Pacheco, a confirmação do nome dele para o Ministério, com um acordo subjacente de assumir uma cadeira no STF nos próximos anos, revela o comprometimento dele não com a Justiça e o combate à corrupção, mas uma adesão a um grupo político que se beneficiou com a Lava Jato. “As denúncias quanto a absolvições de pessoas ligadas ao PSDB e partidos de oposição ao governo da ex-presidente Dilma mostram-se, no mínimo, como próximas de uma verdade. Sua ida ao governo é uma decisão questionável”, afirma.

 

 




Fatos 01.11.2018

Quinta-Feira, 01/11/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Acordo mantido
Articulador do acordo que prevê a presidência da Câmara para o vereador Fernando Rigon, PSDB, em 2019, e Saul Spinelli, PSB, em 2020, o vereador Patric Cavalcanti, DEM, garante que não há mudança de planos nas composições das chapas. Assegurou à colunista que o acordo está mantido, em resposta a mobilização dos vereadores do PDT, Luiz Miguel Scheis e Márcio Patussi, para lançar outra chapa. Scheis estava contando com o apoio de Mateus Wesp já que o policial aposentado abraçou a campanha de Eduardo Leite em Passo Fundo, por conta do vice Ranolfo Vieira, que é policial e seu amigo pessoal. Mas parece que o quadro mudou.

Experiência
Embora com boa vontade e disposição, o deputado eleito Mateus Wesp, PSDB, vai ter que disputar a liderança de governo na Assembléia com um requisito fundamental para o futuro governo de Eduardo Leite: a experiência e capacidade de articular uma maioria inexistente. O novo líder terá uma tarefa complexa de conseguir aprovar projetos polêmicos como o plebiscito e privatizações. A engenharia de concessões do futuro governo, deve levar em consideração uma liderança de partido aliado, como o PP ou PTB, e buscar aproximação com o MDB, que está curando as feridas pela derrota.

Mais um gaúcho
O deputado Jerônimo Goergen, PP, é o indicado do setor agropecuário para assumir o Ministério da Agricultura e do Meio Ambiente. As duas pastas serão unificadas, segundo anuncio da equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro, mesmo contrariando muita gente. O progressista é de Palmeira das Missões, uma das regiões mais agrícolas do Estado.

Combo
A oferta para que o juiz Sérgio Moro assuma o Ministério da Justiça faz parte de um combo que visa indicação futura para o Supremo Tribunal Federal. Há possibilidade de aposentadorias no STF ou por idade ou a pedido de ministros. Moro terá uma conversa com Bolsonaro nesta quinta-feira. Se aceitar, o que é provável, o juiz não escapará das críticas e questionamentos sobre se suas decisões contra o PT não tiveram cunho político.

A La Trump
Vão se acostumando: decisões importantes serão comunicadas pelo Twitter, do mesmo jeitinho que o presidente Trump faz com os americanos. Bolsonaro disse ontem que não vai nomear “condenados por corrupção” nem tolerar “especulação maldosa e sem credibilidade” sobre os nomes que vão compor sua equipe. Vai anunciar os escolhidos em suas redes sociais.

 




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE