PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 27.06.2018

Quarta-Feira, 27/06/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Saúde vai de mal a pior

A saúde (pública ou privada) é classificada como péssima ou ruim por 55% dos brasileiros e regular para outros 34%. A avaliação aparece de diferentes maneiras na sociedade e representa a visão de 94% dos que possuem planos de saúde e de 87% dos que dependem apenas do Sistema Único de Saúde (SUS) para receber assistência médico-hospitalar. Os dados foram revelados ontem pelo Instituto Datafolha, a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM). O relatório foi apresentado no XIII Encontro Nacional das Entidades Médicas, que ocorre em Brasília. A partir dos dados, o CFM vai reunir uma agenda de reivindicações da categoria sobre questões envolvendo a saúde e a medicina, para encaminhar a todos os postulantes às Eleições de 2018.

Ignorância pura

Entrevista do Roda Viva com a pré-candidata à Presidência da República foi angustiante e beirou a falta de educação total por parte da maioria dos jornalistas (homens) que participaram, na segunda-feira à noite. Foi simplesmente ridículo. Falta de profissionalismo, falta de educação. Aquilo foi tudo, menos jornalismo. Ficou claro que não houve intenção de ouvir as propostas da pré-candidata, mas sim colocá-la numa situação de constrangimento. Só não conseguiram, porque Manuela é uma mulher de experiência na militância política e com capacidade de argumentação. Mais do que machismo, calar e não deixar falar é estratégia de ignorantes.

Interrupções

Em 90 minutos de programa Roda Viva, a pré-candidata Manuela D´Ávila foi interrompida 62 vezes pelos entrevistadores. A técnica diz que um jornalista pergunta e o entrevistado responde. Se ficaram dúvidas, novas perguntas devem ser feitas. Agora, interromper as respostas do entrevistado lançando outras questões que não são pertinentes a intenção é ‘embananar’ a conversa.   

Consulta Popular

Devo crer que o resultado da Consulta Popular de Passo Fundo poderá ser outro, diferentemente do que ocorreu nos últimos dois anos, quando a cidade não foi contemplada com recursos para os projetos escolhidos. Pela movimentação de ontem, podemos vislumbrar um resultado melhor. O trabalho do Conselho Municipal de Desenvolvimento, juntamente com a Coordenadoria dos Conselhos e o Corede Produção deve surtir efeito. De outro lado, há uma mobilização de segmentos que tiveram projetos aprovados e que constam da cédula deste ano, de forma mais organizada. Se você ainda não votou, vai lá e acessa www.consultapopular.rs.gov.br.

 




Fatos 26.06.2018

Terça-Feira, 26/06/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Sem juiz

Há dois anos a Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Passo Fundo está sem juiz titular. Dalmir Franklin, que serviu ao juizado por dez anos, está lotado na Vara da Família e tem sido o substituto da Infância desde então, acumulando as duas funções. Neste momento, está em laudo médico. E, por mais boa vontade e empenho que tenha o juiz Dalmir, e todos sabem da dedicação que teve na Vara da Infância, o resultado da demora na nomeação de um titular para, é o acumulo e de processos dos mais variados, mas em especial os de adoção. Estamos falando de crianças e adolescentes e de seus destinos. O tempo, neste caso, não é o senhor da razão, mas pode significar sofrimento e o fim de um sonho.

Moção

Ontem mesmo, o vereador Saul Spinelli, PSB, que acompanha a situação há mais tempo, encaminhou documento ao Tribunal de Justiça, solicitando agilidade por parte do Judiciário para a nomeação de um juiz titular. A designação já estaria determinada, mas entraves burocráticos não permitiram a consolidação do ato.

Bolsonaro e os debates

O pré-candidato à Presidência da República, pelo PSL, desmentiu, através de um vídeo na sua conta do Twitter, que não compareceria a debates eleitorais. “Eu não falei com ninguém na imprensa. A imprensa tem dito que estou fugindo. Não houve até o momento nenhum debate. Nós compareceremos a todos, até porque estaremos levando propostas factíveis”.

Receita Federal

A Receita Federal vai fechar 25 agências em todo o país, a partir de 6 de julho. Três delas estão no Rio Grande do Sul: Guaíba, Veranópolis e São Leopoldo.




Fatos 23 e 24.06.2018

Sábado, 23/06/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Missão centenária

Ao ser acreditado pela Organização Nacional de Acreditação, às vésperas de completar 100 anos, o Hospital São Vicente de Paulo demonstra não só o cuidado que tem com o paciente, mas o zelo com a gestão. Para chegar a este patamar de eficiência, muitos processos, muitos paradigmas e interesses foram superados, quebrados e contrariados. E não é fácil contrariar interesses. Só uma gestão eficiente consegue manter uma instituição por tanto tempo com tamanha vitalidade. Um hospital filantrópico que, mesmo com prejuízos no atendimento ao SUS, mantém a vocação do atendimento pelo sistema. O balanço de 2017 traz com clareza os exemplos. Para cada R$ 100,00 de custo com o atendimento à população SUS, o HSVP recebeu do Estado o equivalente a R$ 66,80. Os outros R$ 33,20 foram cobertos pelo caixa único da instituição. O descompasso entre o que efetivamente é custo dos serviços e o que é pago pelo Estado, via SUS, deixou no ano passado, um déficit de R$ 70,4 milhões.

Clareza dos números

O valor contratado pelo Estado no ano passado para atendimento SUS foi de R$ 142 milhões, a receita contábil do contrato foi de R$ 141,7 milhões, mas, o custo chegou a R$ 212, 2 milhões. Se considerarmos o orçamento total do HSVP em 2017, que foi de R$ 423,7 milhões, o contrato com o Estado para atendimento à população SUS representou 33,46% do total. Em 2018, a previsão é um pouco maior, devendo chegar a 35% do total. E quem cobre este déficit? O próprio hospital através de outras receitas que formam o caixa único, como o atendimento privado e convênios.

Mais números

Em 2017, 64% das internações foram pelo SUS: 38.656. A taxa de ocupação foi de 93% e a média de permanência de seis dias. Para traçar um paralelo com hospital do mesmo porte, o Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, que tem um orçamento três vezes superior ao do HSVP, internou 31.245 pacientes no ano passado, 7,4 mil a menos do que o hospital de Passo Fundo. Na emergência, o HSVP atendeu a 66.263 pessoas, sendo 91% pelo SUS. Já os atendimentos ambulatoriais foram de 1,4 milhão de pessoas, 70% pelo SUS e 30.133 foram os procedimentos cirúrgicos, 67% pelo SUS.

Procedimentos

Nos procedimentos cirúrgicos, a parcela de reembolso dos profissionais anestesiologistas, que o SUS faz ao Hospital, é de apenas 37,48%. O restante é pago pelo caixa único da Instituição. Isso representa dizer que, do valor pago de R$ 5,9 milhões, o hospital recebeu do SUS apenas R$ 2,2 milhões. Os R$ 3,7 milhões restantes saíram do caixa do HSVP. Neste dia em que completa 100 anos, resta a Passo Fundo e região agradecer a esta poderosa instituição que tem como missão cuidar de pessoas e salvar vidas.

Vitória coletiva

A assinatura do edital para licitação da tão esperada obra do aeroporto Lauro Kortz foi mais um passo rumo a solução de um gargalo que atinge mais de 100 municípios. É resultado de esforço coletivo, sim. Vários agentes envolvidos no processo. Cada um fazendo a sua parte e cada um com um pedacinho desta história para contar mais tarde. Mas também teve muita gente chegando em cima da hora para sair na foto. Isso já virou praxe em ano eleitoral. 




Fatos 22.06.2018

Sexta-Feira, 22/06/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Sem comentários!

A capa da revista Time, publicada esta semana, dispensa qualquer comentário a propósito da política migratória do truculento presidente norte-americano Donald Trump. E pensar que no Brasil, tem gente apostando no formato Trump tupiniquim #salvadordapatria nas eleições de outubro. Cenário para ir de mal a pior.

Ato 

Vai ser no auditório da Biblioteca da UPF a assinatura do edital de licitação da obra do aeroporto Lauro Kortz. O ato está programado para às 14h30 com a presença do governador José Ivo Sartori e do ministro dos Transportes Valter Casemiro. Sartori foi o governador que mais veio a Passo Fundo durante um mandato. Tem um bom relacionamento com o prefeito Luciano Azevedo.

E aí...

Quando a gente pensa que não podia ficar pior, vem outra notícia como essa: O governo federal editou MP destinando destina recursos das loterias federais para o FNSP (Fundo Nacional da Segurança Pública). Isso causará prejuízo de quase R$ 1 bilhão ao Fies (financiamento estudantil), programa que praticamente acabou no atual governo. O valor representa 15% dos R$ 6,3 bilhões destinados. E tem mais, o governo também vai tirar dinheiro da Saúde e das Apaes. Como diria Darcy Ribeiro: não investe em educação, tem que gastar com presídios (ou segurança).

Sem censura

O STF declarou inconstitucional e derrubou um trecho da Lei Eleitoral que proibia emissoras de rádio e TV a veiculação de sátiras e críticas a candidatos, partidos e coligações durante a campanha eleitoral. A medida vinha sendo questionada desde 2010 e os trechos da lei que eram questionados estavam suspensos por uma liminar do ministro aposentado Ayres Britto. O STF julgou ontem definitivamente a questão. Houve entendimento de que o trecho da lei configurava censura prévia.




Fatos 21.06.2018

Quinta-Feira, 21/06/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Novo leilão da Cesa

A unidade da Cesa de Passo Fundo voltará a ser leiloada. A venda está marcada para o dia 17 de julho, às 10h30. Se o imóvel não for vendido, um novo leilão já está marcado, no dia 31 de julho, no mesmo horário. O processo é gerenciado pela 1ª Vara do Trabalho de Passo Fundo, através de carta precatória emitida pela 14ª Vara de Porto Alegre. Avaliada em quase R$ 23 milhões, a unidade será vendida para pagar dívidas trabalhistas de ex-funcionários da Cesa. Pelo menos, cinco tentativas de venda foram feitas pelo Estado, sem sucesso.

PPS/PSDB

A Executiva Estadual do PPS definiu apoio à pré-candidatura de Eduardo Leite, PSDB, ao governo do Estado. “Foram mais de dois meses de discussões internas para definir a coligação que representa o que nós defendemos como o melhor para o RS”, segundo disse o secretário geral do partido, Élvio Santos. O PPS indicará o ex-deputado estadual Mário Bernd, a uma vaga na chapa ao Senado.

Estacionamento

Não há vagas para estacionar na área central de Passo Fundo e, muito menos nas áreas onde estão instalados complexos hospitalares e de atendimento à saúde. Um problema para quem precisa de vaga e uma solução para quem enxerga nisso um negócio. Por esta razão crescem os empreendimentos particulares. Cada espaço é precioso para ganhar dinheiro.

É o mínimo!

Uma petição pública foi criada na Rússia, pedindo para que o grupo de patetas brasileiros, que fizeram uma brincadeira sem noção com uma mulher russa “peçam desculpas públicas tanto à moça quanto a todos os cidadãos russos por seu machismo, desrespeito às leis da Federação Russa, desrespeito aos cidadãos russos, insultos e humilhação da honra e dignidade”. A petição também exige que os homens envolvidos no vídeo sejam levados à Justiça russa. E se isso ocorrer, bom, a Rússia não é o Brasil. Quem fala o que quer, deve responder pelos seus atos.

 

* Larissa Paludo

 

 




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE