PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 15.08.2018

Quarta-Feira, 15/08/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Candidatos e seus patrimônios
Até o fim da tarde de ontem, apenas dez, dos 20 candidatos que Passo Fundo deve ter nestas eleições concorrendo aos cargos de deputado federal, estadual e senador tiveram as candidaturas registradas no Sistema da Justiça Eleitoral e divulgados no site http://divulgacandcontas.tse.jus.br. Dos presidenciárias, sete fizeram o registro e dos candidatos ao Piratini, cinco aguardam a homologação. Confira a declaração de bens feita por eles.

Presidenciáveis
Cabo Daciolo (Patriota) - não registrou
Ciro Gomes (PDT) - R$ 1.695.203,15
Geraldo Alckmin (PSDB) - R$ 1.379,70
Guilherme Boulos (PSOL) - R$ 15.416,00
Jair Bolsonaro (PSL) - R$ 2.286.779,48
João Amoêdo (Novo) - R$ 425.066.485,46
Vera Lúcia (PSTU) - R$ 20.000,00


Candidatos ao governo
Jairo Jorge (PDT) - R$ 1.323.679,98
José Ivo Sartori (MDB) - R$ 1.128.769,95
Mateus Bandeira (Novo) - R$ 25.076.561,69
Miguel Rossetto (PT) - R$ 1.554.136,66
Roberto Robaina (Psol) - R$210.196,30


Candidatos a deputado estadual
Gilberto Capoani (MDB) - R$ R$2.561.757,33
Airton Dipp (PDT) - R$ R$2.787.156,53
Mateus Wesp (PSDB) - R$ R$77.000,00

Candidatos a deputado federal
Rodinei Candeia (PP) - R$ R$600.481,83
Saul Spinelli (PSB) - R$ R$198.000,00
Eloí Costa (MDB) - R$ 18.000,00
Márcio Patussi (PDT) - R$ R$119.000,00
Eliange Lago (PSB) - R$ R$19.120,00
Celso Dalberto (Psol) - R$ R$61.455,71

Candidato ao Senado
Beto Albuquerque (PSB) - R$ R$1.887.754,47


Férias
O prefeito Luciano Azevedo não poderá estar na abertura do Festival Internacional de Folclore. A justificativa da ausência já foi dada ao coordenador do Festival, Paulo Dutra. Luciano estará afastado da cidade em função de férias, relativas ainda ao ano de 2015, que acabaram coincidindo com a abertura do Festival.


Festival Lula Livre
Passo Fundo vai para participar da edição do Festival Lula Livre, evento que será repetido em várias cidades do país. Ele integra a programação para marcar o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como candidato. A ideia nasceu a partir de um manifesto elaborado por Chico Buarque, Martinho da Vila, Ziraldo, Leonardo Boff e mais de 800 signatários. O documento afirma que “todo o julgamento do presidente Lula foi um erro jurídico sem limites”. Para os signatários, não é possível aceitar que Lula, líder em todas as pesquisas, não participe das eleições. "Inadmissível é mantê-lo preso num flagrante desrespeito às regras mais elementares da Justiça ”, afirmam. O ato cultural será realizado no Backstage Pub, na Avenida Brasil Leste, 90, a partir das 18h e a entrada é gratuita. Lula está preso em Curitiba, condenado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.




Fatos 11.08.18

Sábado, 11/08/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Máscaras
A Bandeirantes já tem como tradição realizar o primeiro debate entre os candidatos presidenciáveis. É um momento para reconhecer território. Foi um debate de situações mais engraçadas e inusitadas do que de emoções. Jair Bolsonaro, PSL, com clara mudança na apresentação. Mais tragável, segue orientação de marqueteiros. A novidade é o Cabo Daciolo (Patriotas). Religioso, rogou a Deus por quase todo o debate e fez promessas como reduzir em 50% o valor do combustível. É deputado federal por SC. Foi eleito pelo PSOL, mas já mudou três vezes de legenda. Um dos discursos que marcou sua carreira curta na política, foi ter anunciado suposta cura da deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) que ficou paraplégica depois de um acidente. Ciro Gomes, PDT, voltou a afirmar que, se eleito, vai retirar mais de 60 milhões de pessoas do SPC. Os demais candidatos fizeram figuração.

 

Ursal
O melhor momento ficou reservado para o Ursal que, sefundo o Cabo Daciolo significa União das Repúblicas Socialistas Latino-americanas, uma espécie de plano para uma Nova Ordem Mundial, unindo toda América do Sul ou a Pátria Grande. Ao ser questionado por Daciolo sobre o tema, a expressão de surpresa de Ciro Gomes foi melhor que a resposta.


Indicativo
O PT já percebeu que foi um erro não entrar no debate com candidato viável judicialmente. No caso, a substituição de Lula por Haddad. A ideia de fazer um programa paralelo nas redes sociais não teve eco. Por isso, a direção nacional já admite que Haddad estará presente nos próximos.

 

PCO
O advogado passo-fundense Emerson Broto integra a chapa ao Senado do PCO. É 1º suplente. Abriu mão de ser candidato ao Senado por conta de questões profissionais.




Fatos 09.08.2018

Quinta-Feira, 09/08/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Demanda das cidades polo
No mês de aniversário de Passo Fundo uma reflexão pertinente: Passo Fundo, cidade polo regional, atende a uma população superior a 1,5 milhão de habitantes, mas recebe recursos federais ou estaduais equivalentes a sua população fixa, que não chega a 200 mil habitantes. “O nosso trânsito, a nossa saúde, cultura, educação e segurança, acabam tendo que atender o número maior de pessoas do que aquelas que moram aqui. Isto é um desafio permanente, porque aquelas comunidades que, por exemplo, mandam um paciente, nem sempre tem que fazer lá o mesmo investimento que nós temos que fazer aqui. Mas esta é a necessidade de uma cidade como a nossa que é uma cidade média, emergente e que tem vantagens e desvantagens das típicas cidades médias do Brasil”, abordou o prefeito Luciano Azevedo, durante entrevista ao Hora da Notícia, da UPFTV, esta semana.


Mão dupla
Um dos serviços mais procurados por esta população regional é a saúde. Via canais de comunicação, a população cobra do município atendimento prioritário para quem mora aqui. Porém, segundo Luciano, a questão é que “nós estamos no SUS, que determina que o brasileiro pode ser atendido em qualquer lugar, e não delimita por regiões. Então, isso acaba de certa forma impactando o atendimento local. Agora, bem lembrado por ele, que a população regional contribui no fomento da economia local. Comércio, postos de combustíveis, restaurantes, hotéis tem retorno desta movimentação. “Prefiro que Passo Fundo seja polo regional pata atender muita gente, do que ser um satélite”, afirma.


Expansão
A Comercial Zaffari de Passo Fundo voltou a ter planos de expansão em Cachoeira do Sul, segundo noticiou o Jornal do Povo de Cachoeira do Sul, empresa associada da ADI. O diretor comercial da rede, Delacir Miorando, esteve em Cachoeira do Sul na última sexta-feira em busca de uma nova área para a instalação de um supermercado. Ele se com o prefeito Sérgio Ghignatti e com o secretário municipal de Indústria e Comércio, Ronaldo Tonet, mas pediu sigilo no que foi discutido durante o encontro.  Uma das áreas sondadas pelo empresário foi uma parte da sede campestre do Clube Comercial, em um dos acessos à zona urbana de Cachoeira do Sul. A Comercial Zaffari tem preferência por entradas e saídas de cidades
 
 
Stok Center
Conforme apurou o JP, a Comercial Zaffari quer instalar em Cachoeira do Sul a bandeira Stok Center, loja mais enxuta e simples para que possa vender produtos a preços mais baixos, especialmente da marca própria da empresa, a Primare.




Fatos 08.08.2018

Quarta-Feira, 08/08/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Curiosidades

Levantamento feito pela Agência Brasil revela que as eleições deste ano terão o segundo maior número de candidatos, desde 1989. Serão 13 neste ano, enquanto em 1989 foram 22 concorrentes. Neste período, somente o PSDB e o PT disputaram todas as eleições presidenciais com candidatos próprios. Partido com maior número de filiados – 2,4 milhões -, o MDB não tinha candidatura própria há quatro eleições. O MDB transitou entre chapas do PSDB e do PT, as duas siglas que se revezaram no poder nos últimos anos. Fernando Henrique foi eleito em 1994 e em 1998, no primeiro turno com 54,3% e 53% dos votos, respectivamente. As eleições de 2002 marcaram o começo da hegemonia do PT: foram quatro vitórias seguidas, todas contra o PSDB.Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito e reeleito em 2002 e 2006. Depois, Dilma Rousseff conquistou o Palácio do Planalto em 2010 e foi reeleita em 2014, mas não completou o mandato.

“Meu nome é Enéas”

E para quem não lembra, o cardiologista Eneas Carneiro (morto em 2007), conhecido pelo discurso agressivo e o bordão “meu nome é Eneas”, surpreendeu o país conquistando cerca de 4,6 milhões de votos, com minguados segundos de televisão.

Representado

O Estado do Rio Grande do Sul tem cinco representantes na disputa presidencial e não quatro como a coluna publicou ontem. O General Mourão, vice na chapa de Jair Bolsonaro, é gaúcho. Ontem já teve que explicar declaração polêmica, “de que o brasileiro tem a insolência do índio e a malandragem do negro”.

Estratégia

Manter a imagem de Lula colada a Fernando Haddad e Mauela D ´Ávila é a estratégia que PT e PCdoB usarão na campanha eleitoral. O ex-presidente, que não deve ter a candidatura homologada pela Justiça, por conta da condenação e cumprimento de pena, será onipresente na campanha. Uma ação de marketing que pretende transferir a Haddad o potencial eleitoral refletivo nas pesquisas. 




Fatos 07.08.2018

Terça-Feira, 07/08/2018 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

O gaúcho precisa é de respeito

Confirmado candidato ao Senado na convenção do MDB, no domingo, Beto Albuquerque, PSB, entra na disputa com uma perspectiva positiva em relação a eleição. Faz história pessoal, mas também poderá entrar para a história de Passo Fundo, sua terra natal, caso seja eleito Senador da República. “O gaúcho não precisa de favor do Governo Federal. E sim, de respeito à sua história, e de consideração por tudo o que faz pelo País”, disse. Beto ressaltou a importância da renovação no Senado para que o Estado tenha, realmente, voz em Brasília.

Representatividade

Os gaúchos estão bem representados na campanha eleitoral deste ano. Germano Rigotto, MDB, Manuela D ´Ávila, PCdoB, Ana Amélia Lemos, PP, serão vice em chapas presidenciáveis. José Maria Eymael, da Democracia Cristã é candidato a presidente.

De novo, nada

No fundo, no fundo estamos assistindo a uma cenário eleitoral de repetição: de um lado os tucanos aliados ao chamado ‘Centrão’; de outro a esquerda com Lula comandando por trás a candidatura de  Fernando Haddad e Manuela D ´Ávila. Em paralelo o discurso retrógado de Jair Bolsonaro, que há 27 anos defende a volta do regime militar, arregimentando fanáticos como se fosse o salvador da pátria. Tem também Ciro Gomes, PDT, que terá que se virar sozinho nesta disputa com o indicativo de polarização. Aguardando o que reserva a propaganda eleitoral. Esta será decisiva.    

Interesse x custo

A norte-americana Manitowoc tem todo interesse em resolver a pendenga judicial originada pelo encerramento da operação em Passo Fundo. Tem prejuízo no mercado internacional e arca com um custo que é superior a R$ 1milhão mensal para manter a estrutura gigante que ainda tem em Passo Fundo. Lá estão equipamentos caros e que necessitam de permanente manutenção. Uma equipe pequena de trabalhadores se encarrega de azeitar o maquinário e ainda dar assistência aos guindastes que foram vendidos em época de vacas gordas.

Desistiu

Abgail Pereira, PCdoB não será mais candidata ao governo do Estado. O Partido vai coligar com o PT que tem Miguel Rossetto, candidato ao governo, e a vereadora de São Leopoldo, Ana Afonso, PT, candidata a vice. Abgail será candidata ao Senado na coligação. 

 




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE