PUBLICIDADE

Geral


Estação das flores também será a das chuvas

Publicada em: 22/09/2018 - 07:00, por Redação ON

Boletins climáticos indicam chuvas acima do padrão para o próximo trimestre

Estação das flores também será a das chuvas

Boletim indica chuvas acima da média para os meses de outubro, novembro e dezembro

Crédito: Leonardo Andreoli/ON

A primavera se inicia neste sábado e a estação das flores também será marcada pelas chuvas acima do padrão. Este é o indicativo apresentado pelo Boletim Climático divulgado pelo 8ºDisme/Inmet e CPPMet/UFPEL. Entre os motivos está a transição de uma configuração de neutralidade para um possível retorno de evento El Niño fraco no decorrer do ano.


Conforme o boletim, a Temperatura da Superfície do Mar (TSM) no Pacífico Equatorial a apresentar mudança de uma configuração de neutralidade para um possível retorno de evento El Niño fraco no decorrer do ano. No Atlântico Subtropical, a anomalia positiva na costa da Argentina e Sul do Brasil contribui para o aumento da umidade no começo da primavera, favorecendo as chuvas na parte litorânea. No decorrer da estação a circulação nos baixos níveis da atmosfera favorecerá o aumento das chuvas, especialmente na parte oeste do RS. A variação no padrão de precipitação influencia diretamente no padrão de temperatura.


A análise detalhada do modelo estatístico (CPPMet/UFPel) indica para o mês de outubro chuvas dentro do padrão no oeste e noroeste e acima nas demais áreas. Para os meses de novembro e dezembro são esperadas precipitações acima do padrão climatológico em todas as regiões, com destaque para a parte oeste do Estado.


O prognóstico para as temperaturas mínimas indica para o mês outubro valores mensais predominando acima do padrão em todo o Estado. Para o mês de novembro o modelo indica predomínio de temperatura pouco acima do padrão no norte e nordeste do Estado. Durante o mês de dezembro são esperadas temperaturas máximas mensais oscilando dentro do padrão climatológico na maior parte do Estado.


Para as temperaturas máximas, o modelo indica, para os meses de outubro e novembro, temperaturas médias mensais pouco acima do padrão no oeste e noroeste do Estado. Para o mês de dezembro são esperadas temperaturas pouco abaixo do padrão climatológico na metade oeste do Estado.


Orientações para a agricultura
O boletim mais recente do Conselho Permanente de Meteorologia Aplicada do Estado do Rio Grande do Sul (Copaaergs), referente aos meses de setembro, outubro e novembro, também aponta para o aumento das precipitações. Com isso, o Governo do Estado orienta para os principais cuidados com as culturas de verão e outras culturas nesse período:


Milho
Implantar áreas de refúgio quando usar sementes com eventos transgênicos;
Escalonar a semeadura para diminuir a possibilidade de coincidir o período crítico da cultura (do início da floração até grão leitoso) com as épocas de maior demanda evaporativa;
Fazer adubação em cobertura, preferencialmente antes da ocorrência de chuvas, utilizando fontes de nitrogênio com menores perdas por lixiviação e volatilização;
Realizar a semeadura quando a temperatura do solo, a 5 cm de profundidade, estiver igual ou acima de 16°C.


Soja
Planejar a semeadura de acordo com o zoneamento agrícola;
Escalonar a época de semeadura da soja em função dos grupos de maturação, diversificando cultivares de diferentes grupos.


Hortaliças
Evitar irrigação em excesso e não irrigar em dias nublados. Quando necessário irrigar, proceder pela manhã. Usar cobertura morta e dar preferência à irrigação por gotejamento;
Recomenda-se a produção de mudas em ambiente protegido, para garantir sua qualidade;
Em ambientes protegidos (túneis e estufas), proceder à abertura o mais cedo possível;
Dar ênfase ao monitoramento de doenças, principalmente daquelas favorecidas pelo molhamento da parte aérea ou excesso de umidade no ar e/ou no solo.


Fruticultura
Promover o manejo da vegetação em pomares com coberturas verdes, de forma que propicie a cobertura morta na projeção da copa das frutíferas para proteger o solo;
Usar o raleio de frutas como prática indispensável;
Considerando a possibilidade de chuvas acima da média, elaborar um bom planejamento fitossanitário, especialmente contra doenças fúngicas;
Fazer adubação em cobertura, preferencialmente antes da ocorrência de chuvas, utilizando fontes de nitrogênio com menores perdas por lixiviação e volatilização.


Forrageiras
No manejo de plantas forrageiras, promover a manutenção da cobertura de solo e de boa disponibilidade de forragem, por meio de cargas animais moderadas;
Escalonar os períodos de plantio/semeadura das forragens cultivadas no verão utilizando mudas/sementes de alto vigor;
Fazer silagem de cultivos e pastagens de inverno/primavera, visando garantir maior disponibilidade de alimento no verão para as categorias de rebanhos mais exigentes.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE