PUBLICIDADE

Cidade


Uma aula diferente no Festival do Folclore

Publicada em: 21/08/2018 - 07:00

Crianças do ensino fundamental se encantam com os cinco grupos folclóricos no primeiro dia de apresentações aberto às escolas

Uma aula diferente no Festival do Folclore

Crianças das escolas do município e região lotaram a lona do Casarão da Cultura para assistir os grupos folclóricos

Crédito: Patrícia Fossatti de Carvalho/ON

Um espetáculo de cores, música e dança que cativou a atenção de quase três mil crianças, que não tiravam os olhos do palco principal nem por um segundo. A segunda-feira (20) foi o primeiro dia de apresentações no Casarão da Cultura destinadas aos alunos da rede estadual, municipal e também de escolas particulares. Estiveram presentes 48 instituições de ensino, de Passo Fundo, Tapejara, Sertão e Coxilha. A programação ocorre no período da tarde, e segue durante a semana para outras escolas. 

 

Através dos sons e da dança, as crianças puderam conhecer a história cultural da Argentina, Bolívia, Colômbia, Estados Unidos/Canadá e do grupo indígena Mã Tÿ Ka, de Benjamin Constant. Para muitas delas, era a primeira vez que estavam participando do Festival e então puderam viajar um pouco através do mundo, sem tirar os pés do chão. "Foi muito legal, tinha muitas crianças e danças, e bastante barulho. Eu gostei bastante da Colômbia", disse empolgada Amanda Sofie Inticher, de apenas seis anos, da EMEI Criança Feliz.


Aliar a teoria aplicada em sala de aula com a prática, que foi prestigiar o Festival, foi uma das atividades realizadas nas escolas para incentivar os alunos a se interessarem ainda mais pelo Festival. "Nós combinamos com os professores que cada um trabalhasse nas aulas os grupos folclóricos que estariam aqui hoje. E foi uma experiência maravilhosa para eles, que é conhecer a história e a cultura desses lugares. Na volta do evento, vai ser feita uma conversa com as crianças sobre o que eles acharam das apresentações, qual a sensação de prestigiá-los e quais os países que eles mais gostaram", explica a diretora da Escola Municipal Arlindo de Souza Mattos, Rosane Vieira Fernandes.


O estudante de 14 anos, Gregory Fortunato, comenta que o Festival oportuniza o aprendizado das línguas faladas e das peculiaridades cultural de cada país. "Eu achei muito interessante, porque cada apresentação era diferente uma da outra, e cada uma trazia seus símbolos, sua música e a vestimenta representante do país. Eu havia feito uma pesquisa sobre a Bolívia, e quando eu associei isso a apresentação deles, foi muito gratificante, porque era como se eu já conhece o que eles trouxeram para o público."


Programação
Nesta terça-feira (21), vai ser possível que a comunidade assista mais apresentações em diferentes pontos da cidade, de forma gratuita. As oficinas de dança e conversação tem início às 14h, com os grupos da África do Sul, Polônia e Colômbia, no Bella Città Shopping.
11h30min - Centro de Convivência UPF: Peru
17h - Praça Teixeirinha: Estados Unidos/Canadá
17h - Stok Center Petrópolis: Minas Gerais
17h30min - Bella Città Shopping: Estados Unidos/Canadá

 

O espetáculo principal, no Casarão da Cultura, vai ter a apresentação dos grupos GTF Guapos da Agronomia, CTG Tropel de Caudilhos, Argentina, Bolívia, Chile, Estados Unidos/Canadá, México, Maranhão e Peru. O evento começa às 19h30min.

 

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Festival, das 9h às 19h. E para quem se programar, entre os dias 21 a 24 de agosto, nas compras com 24h antes das apresentações, todas as pessoas terão direito a meia entrada.

Imagens Relacionadas

Clique nas imagens para ampliá-las.

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE