PUBLICIDADE

Polícia


Mulher mantida em cárcere privado morre no hospital

Publicada em: 02/12/2019 - 18:00, por Isadora Stentzler/ON

Na sexta-feira, companheiro da vítima tentou asfixiá-la após ela ser internada

Mulher mantida em cárcere privado morre no hospital

Acusado de tentar asfixiar a vítima no hospital foi preso ainda na sexta-feira (29)

Crédito: Divulgação/BM

Luciele de Almeida, de 36 anos, vítima de uma tentativa de feminicídio dentro do Hospital das Clínicas, morreu na tarde desta segunda-feira (2), em Passo Fundo. Ela estava internada desde a sexta-feira (29), quando denunciou o ex-companheiro por mantê-la em cárcere privado e a forçar a ter relações sexuais. Ele foi preso no mesmo dia, após tentar asfixiar a vítima no hospital.  Caso segue investigado.

 

Segundo a delegada Rafaela Bier, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), de Passo Fundo, a irmã de Luciele flagrou o ex-companheiro tentando asfixiar a irmã, dentro do hospital. Ele fugiu do local, mas foi localizado pela Brigada Militar e preso. “A gente só tomou conhecimento do caso quando a irmã nos relatou a tentativa de asfixia. Porque até então não tínhamos o conhecimento do cárcere privado. Diante disso não restou outra dúvida”, explicou a delegada sobre a rápida prisão do acusado.

 

A vítima, de acordo com a advogada, já possuía outros problemas de saúde e estava debilitada. Ontem, uma equipe iria até à vítima para tomar os depoimentos de maneira formal, já que, na sexta-feira, Luciele só conseguiu falar de forma genérica. Com a morte, a delegacia deve averiguar os impactos da agressão para causa do óbito a fim de averiguar se caso será tratado como feminicídio.

 

Luciele já havia solicitado medidas protetivas, mas elas ainda não haviam sido deferidas.

 

Vítima de esfaqueamento segue em estado grave

 

 

A outra vítima de tentativa de feminicídio, de 42 anos, segue internada em estado grave no Hospital das Clínicas. Ela foi esfaqueada no início da tarde de quinta-feira (28) pelo companheiro, que foi preso na manhã de hoje (2), no bairro Morada do Sol.

 

O crime foi testemunhado, o que ajudou a investigação.  “Quando tomamos conhecimento do caso, a equipe de investigação foi até o local para as circunstâncias e conseguimos chegar a autoria do delito. Com base na prova testemunhal representamos pela prisão preventiva e hoje cumprimos”, esclareceu Rafaela.

 

Índices elevados

 

Com mais esses dois casos, a delegada Rafaela Bier alerta que 2019 já possui índices de violência contra a mulher maiores que o ano passado.

 

A delegada não citou números atualizados, mas alertou quanto à necessidade de se buscar os órgãos de segurança. “Já estamos com índices maiores que o ano passado. E na maioria dos casos que atendemos, que às vezes tem resultado em morte ou não, as vitimas não procuraram a Delegacia. Elas não tinham medida protetiva. Isso significa que quando as vítimas procuram as autoridades elas têm uma resposta, o que evita um caso maior.”

 

DENUNCIE

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Passo Fundo está localizada na rua General Nascimento Vargas, número 153, Centro de Passo Fundo. Denuncias podem ser feitas pelos números (54) 3581-0725, 197, da Polícia Civil, e 180, da Central de Atendimento à Mulher.

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE