PUBLICIDADE

Região


Produção consciente e redução no uso de plásticos

Publicada em: 14/01/2020 - 11:25

Projeto desenvolvido por doutoranda do PPGEng da UPF promove ações de conscientização ambiental

Produção consciente e redução no uso de plásticos

Sacolas ecológicas são vendidas na Feira do Produtor de Carazinho

Crédito: Divulgação

Mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental da UPF, Leila Dal Moro sempre teve o interesse de trabalhar com pesquisas e sua atuação esteve voltada para a sustentabilidade. Orientada pela professora Dra. Luciana Brandli, ela desenvolveu o Projeto Conduzir. Baseado nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, o estudo pretende conscientizar a comunidade sobre a produção e o consumo responsáveis, focado também na agricultura familiar. No sábado (11/01), as ações foram desenvolvidas na Feira do Produtor de Carazinho.

De acordo com Leila, a ideia surgiu a partir da sua tese de doutorado sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, direcionado ao objetivo de número 12 que é a Produção e Consumo Responsáveis. O Projeto voltou as atenções para a agricultura familiar sustentável, atividade que, segundo ela, tem diversidade de alimentos, inúmeras questões econômicas, sociais e ambientais como empoderamento da mulher na atividade, valorização do jovem no campo, alimentos frescos, renda, canais de distribuição fortalecidos como as feiras dos produtores entre inúmeros outros fatores. “Pensamos em aliar a produção, a distribuição e o consumo de alimentos da agricultura familiar com a redução do uso de plástico, nasceu assim o Projeto Conduzir na Feira do Produtor de Carazinho. Busquei parcerias locais com a ajuda da Secretaria de Agricultura, Emater e a própria Feira do Produtor”, ressalta a doutoranda.

Ela destaca que duas empresas de Carazinho (Schuster e Medeiros e Construtora Senger) patrocinaram as sacolas retornáveis, que foram distribuídas aos produtores para serem comercializadas por um preço acessível aos consumidores da Feira. “Esse foi um primeiro passo, mas a ideia é continuar com esse projeto por muito tempo. Os produtores foram capacitados sobre temáticas da área para, assim, não ser um simples comercio de sacolas. Temos uma preocupação em disseminar a produção e consumo sustentável aos consumidores da Feira e comunidade local”, explica.

 

Mudar comportamentos

Leila lembra que o Projeto Conduzir nasceu de uma pesquisa sobre desafios e potencialidades entre os 21 municípios do Corede Produção onde a temática foi Produção e Consumo Responsável. Entre os tópicos, estiveram os atores locais como agricultores, mulheres, jovens, Universidades, prefeituras, sindicatos, movimentos sociais, entre outros. De acordo com ela, o município de Carazinho foi o que mais mostrou interesse em levar adiante essa proposta de implementação.

Conforme a doutoranda, em um primeiro momento foi realizado um diagnóstico dos produtores e da quantidade de sacola plástica utilizada, após, foi feita uma capacitação com os atores envolvidos sobre o tema, na sequencia ela buscou parcerias para implementação. Por fim a entrega, para depois fazer uma nova análise da redução das sacolas plásticas e do engajamento da sociedade. “Esse projeto traz a grande importância de a Universidade estar envolvida com a comunidade, tanto quanto buscar parcerias e implementar ações locais. Além disso, criar projetos sustentáveis onde a sociedade possa cooperar e participar diretamente, é também levar conhecimento e corroborar com o desenvolvimento sustentável”, frisou Leila.

Para a orientadora, professora Dra. Luciana, levar o conhecimento para a comunidade é fundamental e é isso que o Projeto faz. “O projeto é muito importante, pois trabalha com um dos objetivos do Desenvolvimento sustentável. A feira foi um canal para que conseguíssemos levar a ideia, tanto de divulgar os objetivos, quanto de mostrar para as pessoas que é possível ter um consumo sustentável no dia-a-dia. Uma das ideias foi a sacola retornável, mas ele foi mais amplo, capacitando os produtores, levando isso para a população”, pontou.

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE