PUBLICIDADE

Saúde


A hora de levar o filho ao dentista

Publicada em: 08/07/2018 - 08:00

Primeira visita exige um momento de muita tranquilidade

A hora de levar o filho ao dentista

Atendimento especializado na Imed

Crédito: Johannes Meister – CCO

Vai chegar o dia em que será necessário levar as crianças ao dentista. É muito importante que esse momento seja o mais tranquilo possível. É a hora para superar a angústia que toma conta não apenas dos pequenos pacientes, mas também dos pais que podem passar o medo que possuem para os filhos. Isso ocorre de forma que as pessoas nem percebem. Porém, é bom lembrar que existem profissionais especializados no atendimento odontológico para crianças. A odontopediatra e professora do curso de Odontologia da Imed, Dra. Juliana Camargo, explica que os procedimentos odontológicos desta especialidade são desenvolvidos para que as crianças não sintam dor. “O profissional odontopediátrico é preparado para aplicar, inclusive, anestesia indolor e fazer com a criança sinta-se à vontade durante o atendimento”, comenta a professora.

 

Ambiente
A ludicidade, o colorido e os brinquedos são elementos que fazem com que as crianças percebam que o consultório foi preparado para esperá-las. “As crianças são espertas e muito curiosas. Têm muita expectativa e por isso precisam se identificar com o espaço”. A cárie está entre os principais problemas que acometem os pequenos. É causada especialmente pelo consumo de doces e a falta de higienização correta dos dentes. A odontopediatra explica que as guloseimas só devem ser inseridas na dieta das crianças a partir do segundo ano de vida. “Fizemos uma pesquisa no curso de Odontologia da Imed que avaliou as crianças que chegavam com cavidades de cáries e foi constatado que o consumo de açúcar nestes casos começou antes delas completarem um ano”, explica.

 

Gestação
A professora Juliana explica que não existe idade mínima para consultar com dentista. Inclusive, os cuidados devem iniciar durante a gestação. “Sugerimos que a criança venha para o atendimento ainda na barriga da mãe. É importante que a gestante receba orientações sobre alimentação, tanto para ela quanto para o bebê. Instruções sobre higienização, hábitos, tais como o uso de chupeta e mamadeira pelo recém-nascido. Também é necessário que as mamães saibam da importância da amamentação no desenvolvimento dos dentes e da face”, enfatiza. Aos seis meses de vida, quando começam nascer os primeiros dentes da criança, também é um dos momentos que se deve buscar atendimento odontopediátrico “Nessa fase é necessário começar a utilização da escova, fio dental e pasta com flúor”, explica.

 

Dentes de leite
Os dentes de leite merecem cuidados assim como os permanentes. Por volta dos seis anos de idade, os dentes de leite começam a cair para dar lugar à dentição permanente. “A escovação deve ser realizada com pasta que contenha acima de 1000 ppm de flúor, na quantidade do tamanho de um grão de arroz cru, duas vezes ao dia desde a erupção do primeiro dente e uso de fio dental, ” explica a odontopediatra.

 

Avanços no tratamento
Dentre os avanços na área da odontopediatria, de acordo com a professora Juliana Camargo, destaca-se a remoção seletiva de cárie, tornando o procedimento menos invasivo, e o uso de selantes oclusais. “Quando as cáries são iniciais conseguimos selar para evitar um acometimento maior”, enfatiza. Para a professora o principal avanço deve ocorrer através da educação das mães para promover a prevenção e saúde bucal dos filhos. “É importante ter todos os cuidados com os dentes das crianças, pois mesmo que ainda não sejam os permanentes, são importantes para a fala, mastigação, desenvolvimento da oclusão e estética”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE