PUBLICIDADE

Saúde


Os riscos do retinoblastoma

Publicada em: 05/08/2018 - 08:00

Câncer ocular atinge crianças e pode ser fatal

Os riscos do retinoblastoma

Aproximadamente 95 por cento das crianças com retinoblastoma apresentam a doença antes dos cinco anos de idade

Crédito: Isabell – CCO

Um dos dez tipos de câncer mais comuns em crianças e o retinoblastoma, um tumor que ataca a retina. É raro e se manifesta nos primeiros anos de vida. Se não tratado precocemente, poderá conduzir à perda da visão ou mesmo ser fatal. A Dra. Julia Pastorello, coordenadora médica do Centro de Oncologia e Hematologia do Hospital da Cidade, explica que o retinoblastoma é um tumor maligno que cresce dentro do globo ocular, com diagnóstico confirmado por exame oftalmoscópico e nos exames de imagem. De acordo com a médica oncologista, a idade mediana no diagnóstico é de 18 a 20 meses. O retinoblastoma é responsável por 13% dos diagnósticos de câncer no primeiro ano de vida. Aproximadamente 95 por cento das crianças com retinoblastoma apresentam a doença antes dos cinco anos de idade, muito raro em adolescentes ou em adultos. A incidência é semelhante em meninos e meninas e não há predileção racial. Não temos dados recentes dos diagnósticos na nossa região, mas é considerada uma doença rara. O retinoblastoma ocorre em aproximadamente 1 em 15.000 a 1 em 16.600 nascidos vivos nos Estados Unidos e no norte da Europa.

 

Evolução
Se não for tratado, o retinoblastoma cresce e destrói a arquitetura interna do globo. A disseminação metastática pode começar dentro de meses, e a morte geralmente ocorre dentro de um ano após a metástase. As rotas mais comuns de disseminação metastática são a infiltração direta através do nervo óptico para o sistema nervoso central e disseminação hematogênica para o pulmão, osso, fígado ou cérebro. A taxa de sobrevida global em cinco anos para crianças com retinoblastoma é maior que 95%. Pacientes que desenvolvem doença metastática geralmente o fazem dentro de um ano do diagnóstico. Uma criança que permanece livre por cinco anos após o diagnóstico é considerada curada. 

 

Terapêutica
Uma variedade de opções de tratamento está disponível para crianças com retinoblastoma. A escolha do tratamento inicial é feita por uma equipe multiprofissional e baseia-se no tamanho e localização do tumor, na idade do paciente e possibilidade de manter a função visual. As opções terapêuticas incluem quimioterapia local e sistêmica, terapias ablativas de crioterapia, fotoablação a laser e retirada do globo ocular, procedimento denominado enucleação.


Os sinais
A oncologista alerta para os sinais da doença, para que os pais fiquem atentos. O retinoblastoma apresenta-se tipicamente como leucocoria, que significa a pupila fica branca ao invés da cor preta habitual em uma criança com menos de dois anos de idade. Outros sintomas comuns de apresentação incluem estrabismo e movimento anormal do olho chamado nistagmo. O encaminhamento imediato e precoce salva vidas e o resultado visual.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE