PUBLICIDADE

Saúde


Dia Mundial da Sepse no Hospital da Cidade

Publicada em: 22/09/2018 - 10:00

O enfermeiro Gilmar Felario Jr. e a médica infectologista Clarissa Oleksinski foram os palestrantes

Dia Mundial da Sepse no Hospital da Cidade

Projeto Sepse no HCPF

Crédito: Amanda Lisowski - HCPF

O Hospital da Cidade de Passo Fundo é um dos hospitais brasileiros certificados para a implementação do Projeto Sepse, coordenado pelo Ministério da Saúde. No Dia Mundial da Sepse, lembrado em 13 de setembro, a conduta multiprofissional envolvendo o atendimento à sepse foi abordada através de uma atividade de atualização que envolveu a equipe médica e multiprofissional do HC. Segundo estimativa do Instituto Latino Americano de Sepse são diagnosticados 400 mil novos casos de sepse anualmente no Brasil, com 240 mil óbitos.

 

Conferências
O enfermeiro Gilmar Felario Jr. e a médica infectologista Clarissa Oleksinski, responsáveis pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do HC ministraram duas conferências que abordaram o protoloco de sepse adotado pela instituição e as notificações ao Núcleo de Segurança do Paciente. Durante a atualização o enfermeiro Gilmar salientou a importância da execução dos protocolos de sepse para a rapidez no diagnóstico e tratamento, além da contribuição destas condutas para o desfecho dos casos notificados “A sepse é uma disfunção orgânica causada por uma resposta desregulada do organismo à infecção” pontuou.

 

Meta
Qualquer tipo de infecção pode evoluir para sepse, no entanto, as mais comuns são as infecções urinárias e pneumonias. Os protocolos de atendimento à sepse visam reduzir as taxas de mortalidade em consequência da sepse grave e garantir o tratamento de forma imediata. A meta do Ministério da Saúde é reduzir a mortalidade por sepse em até 25% ao longo dos próximos cinco anos. Também conhecida como infecção generalizada, a sepse está entre as principais causa de óbitos nas Unidades de Terapia Intensiva brasileiras. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE