PUBLICIDADE

Saúde


A acne na mulher adulta

Publicada em: 20/10/2018 - 14:00

Os tratamentos variam de acordo com a causa e a gravidade

A acne na mulher adulta

Crédito: Kjerstin Michaela – CCO

Popularmente conhecida como espinha ou, ainda, cravo, a acne é sempre um incômodo. Não surge apenas na adolescência e, por diversos fatores, também gera uma preocupação com a estética dos adultos, especialmente quando surge no rosto. É necessário conhecer as causas das anormalidades endocrinológicas para obter um tratamento específico. As explicações sobre o tema são da Dra. Juliana Mazzoleni Stramari, médica dermatologista, integrante do corpo clínico do Hospital da Cidade. A acne é uma doença inflamatória multifatorial, estando envolvidos fatores genéticos (história familiar), hormonais, imunológicos e inflamatórios. O quadro clínico é variável, podendo ter apenas comedões (cravos), pápulas e pústulas (espinhas), nódulos e até mesmo uma doença sistêmica fulminante.

 

Adolescentes e adultos
A acne pode acometer todas as faixas etárias, mas é mais comum na adolescência, afetando aproximadamente 85% dos jovens entre 12 e 24 anos. Geralmente inicia na puberdade, quando se inicia a produção dos hormônios sexuais. A acne pode ser persistente, que é a mais frequente e agrega os casos iniciados na adolescência e que persistem na idade adulta e a acne de inicio tardio, onde as lesões iniciam após os 25 anos, sendo mais frequente em mulheres. A acne da mulher adulta tende a piorar na fase pré-menstrual e se apresenta normalmente no terço inferior da face (mandíbula e queixo) e no pescoço. Na mulher adulta a causa mais comum é a síndrome dos ovários policísticos. Além disso, outras anormalidades endocrinológicas, obesidade, medicamentos e tabagismo, devem ser sempre investigados.

 

Como tratar
Nas mulheres, o histórico menstrual e do uso de contraceptivos orais são importantes para determinar as influências hormonais sobre a acne. Na suspeita de distúrbios endocrinológicos, são necessários exames complementares para fazer o diagnóstico. O tratamento varia dependendo da causa e da gravidade. Podem ser usados anticoncepcionais orais, agentes de limpeza para remoção do sebo, retinóides tópicos, antibióticos tópicos e ácidos. Em casos mais extensos e resistentes, podem ser indicados antibióticos orais, isotretinoína e espironolactona.

 

É importante lembrar:
- Não manipular as lesões
- Evitar o uso de medicamentos tópicos ou sistêmicos não indicados pelo médico
- Não esquecer-se de remover a maquiagem antes de dormir
- Evitar o uso de produtos cosméticos e maquiagens inadequadas para o seu tipo de pele
- Evitar o tabagismo e a exposição solar excessiva


Autoestima
A acne tem impacto psicossocial em todas as faixas etárias. Pode afetar a aparência, influenciar de forma significativa nas relações pessoais e profissionais levando a baixa autoestima, frustração, raiva, vergonha, prejuízo na autoimagem, ansiedade e depressão.

 

Agravamento e cicatrizes
A acne pode evoluir para a sua forma mais grave, a acne fulminans, que é associada a manifestações sistêmicas, como febre, artralgia e mialgia. O tratamento precoce da acne é essencial, independentemente da idade e da gravidade, para a prevenção de uma desfiguração estética duradoura, devido à formação de cicatrizes, que podem ser permanentes e de difícil tratamento.

 

Prevenindo
A prevenção da acne da mulher adulta pode não ser muito efetiva quando existe uma pré-disposição, porém alguns hábitos e fatores podem ajudar a minimizar o quadro, como usar sabonetes específicos para o seu tipo de pele, evitar o uso de cosméticos e maquiagens oleosas e usar medicamentos tópicos para controle da oleosidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE