PUBLICIDADE

Saúde


Aumento da prematuridade preocupa

Publicada em: 25/11/2018 - 07:00

Mais de 900 nascimentos prematuros são registrados diariamente no Brasil

Aumento da prematuridade preocupa

Aline Carla Hennemann palestrou no HSVP

Crédito: Caroline Silvestro-HSVP

Em 17 de novembro foi lembrando mundialmente o Dia Mundial da Prematuridade. O objetivo da campanha é alertar sobre o crescente número de partos prematuros, como preveni-lo, informar sobre as consequências do nascimento antecipado para o bebe?, para sua família e para a sociedade, além de trabalhar junto às equipes o melhor atendimento e cuidado. No mundo todo, monumentos e prédios públicos foram iluminados de roxo para chamar a atenção para esta causa. Em Passo Fundo, no Hospital São Vicente de Paulo, referência no atendimento de gestações de alto risco e prematuros, esta causa ganhou espaço e um treinamento foi realizado em 16 de novembro, com as equipes que atendem gestantes e bebês prematuros.

 

Relações interprofissionais
O tema abordado “Relações interprofissionais no cuidado com o prematuro” foi ministrado pela enfermeira, mestre em Pediatria pela PUC e vice-diretora executiva da ONG Prematuridade.com, Aline Carla Hennemann. Aline abordou para as profissionais questões relacionadas ao Método Canguru, a importância do trabalho interprofissional e os benefícios que estes dois trazem aos bebês prematuros. “O Método Canguru é uma política do SUS composta por ações voltadas para a atenção humanizada e qualificada ao recém-nascido e sua família. Ele é composto por três etapas e inicia antes mesmo de o bebê nascer, com a orientação à gestante”, explicou a especialista em atendimento materno-infantil, pontuando ainda que, estas ações não exigem grandes investimentos em tecnologia e financeiros, mas sim, na qualificação dos profissionais e trabalho interdisciplicar. “O cuidado interdisciplinar está diretamente ligado na qualidade do paciente após a alta hospitalar”.

 

Método Canguru
Conforme Aline, as três etapas do Método Canguru envolvem o identificar situações de risco no pré-natal e orientar a família, aproximar a família da criança, realizar a posição canguru o mais precoce possível, apoio e orientação da família, auxílio para continuidade da amamentação e prática da posição canguru e por fim, o acompanhamento das primeiras semanas do bebê pós-alta hospitalar. “Alguns dos benefícios do método são: menor de tempo de interação; aumento do aleitamento materno; aumento do vínculo entre a família; menos episódios de paradas respiratórias durante o sono; diminuição da infecção hospitalar, controle e alívio da dor; acolhimento do bebê e família e promoção do contato pele a pele”.


Prematuridade em números
De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil o nascimento de bebês prematuros corresponde a 12,4% do total. Nascem 931 prematuros por dia, o equivalente a 40 por hora. No HSVP, até início de novembro, 382 bebês foram atendidos no Centro de Tratamento Intensivo Neonatal e destes, 94% tiveram alta. O Método Canguru é preconizado pela equipe, bem como, a humanização no atendimento. Diante deste dado, o Novembro Roxo busca chamar a atenção dos governantes e formadores de opinião sobre a importância desse tema, refletindo sobre a qualidade do atendimento oferecido aos prematuros e às suas famílias e clamando por políticas públicas de prevenção e tratamentos modernos, adequados e mais humanos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE